Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras

fevereiro 3, 2012 at 2:48 am 13 comentários

Sherlock Holmes”, filme de 2009, marcou a retomada da carreira de Guy Ritchie, um dos diretores mais promissores da década passada, após a separação dele da cantora Madonna e uma série de longas com resultados extremamente mal sucedidos. Nos dois anos que separam o lançamento deste filme (que obteve uma excelente repercussão na crítica) e o de “Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras”, Ritchie não fez nenhum outra obra, o que denota que ele ainda não se sente seguro o suficiente para se aventurar em outros universos cinematográficos, talvez com medo de decepcionar novamente.

“Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras” mostra, na realidade, que Guy Ritchie não tem o que temer em relação às suas capacidades como diretor, uma vez que ele não só obtém o mesmo excelente resultado técnico do primeiro filme – ajuda, com certeza, o fato de ele ter repetido, quase que por inteiro, boa parte da equipe que havia trabalhado com ele em “Sherlock Holmes” -, como também permite a ele melhorar aspectos que ficaram devendo no primeiro longa, afinal, em “Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras”, finalmente, temos um antagonista à altura da inteligência e da sagacidade do personagem criado pelo escritor inglês Sir Arthur Conan Doyle.

No roteiro escrito por Michele Mulroney e Kieran Mulroney, Sherlock Holmes (Robert Downey Jr.) está investigando aquele que ele considera ser o mais importante caso de sua carreira. A dedicação dele a essa investigação é tanta que as pessoas que estão ao seu redor, notadamente o amigo Dr. Watson (Jude Law, repetindo aqui a ótima quimica vista no primeiro filme com Downey Jr.), começam a questionar até mesmo se ele está em seu estado normal de sanidade. O que está tirando o juízo de Holmes é uma série de mortes e acontecimentos misteriosos que ele acredita estarem relacionados ao Professor James Moriarty (Jared Harris, conhecido pelo seu papel no seriado “Mad Men”, numa ótima atuação).

É importante aqui fazermos um adendo para falar a respeito do personagem James Moriarty. Nos livros escritos por Arthur Conan Doyle é ele quem é o maior inimigo de Sherlock Holmes. Considerado um gênio do crime, Moriarty é um homem muito frio e calculista ao extremo na elaboração de seus planos. A presença dele na trama de “Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras” acrescenta muito ao filme no sentido de que, com um adversário desse nível, os roteiristas tiveram também que fazer com que Sherlock Holmes crescesse e fosse ainda mais atrevido e corajoso no planejamento de como ele iria reagir às diversas armações criadas por Moriarty.

Um dos acertos de “Sherlock Holmes” foi a forma como Guy Ritchie trabalhou com o seu montador na sala de edição, dando uma cara bem diferente às cenas de ação. Em “Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras”, as cenas de ação saem da cidade de Londres e partem para ambientes diversos, o que permite a Guy Ritchie explorar muito bem efeitos de câmera lenta na edição. O problema foi que ele se empolgou tanto com isso que ele repete esse recurso à exaustão, chegando uma hora em que os efeitos nem causam mais aquela reação de impacto na plateia. Mas, isso é um problema quase imperceptível dentro de um filme que tem muitos elementos positivos.

Cotação: 7,5

Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras (Sherlock Holmes: A Game of Shadows, 2011)
Direção: Guy Ritchie
Roteiro: Michele Mulroney e Kieran Mulroney (com base nos livros de Sir Arthur Conan Doyle)
Elenco: Robert Downey Jr., Jude Law, Noomi Rapace, Rachel McAdams, Jared Harris, Stephen Fry, Kelly Reilly, Eddie Marsan, Geraldine James

Entry filed under: Cinema.

Dercy de Verdade As Aventuras de Tintin: O Segredo de Licorne

13 Comentários Add your own

  • 1. Paulo Ricardo  |  fevereiro 3, 2012 às 6:12 am

    Curioso com esse segundo filme e como você citou na critica pela atuação de Jared Harris.Bom saber que Jude Law e Robert Downey jr. repetem a boa quimica do primeiro filme e não gosto desse cacoete de Guy Ritchie com a câmera lenta em cenas de ação(na cena de abertura do primeiro filme ele exagera nessas tomadas).Bom final de semana Kamila.Beijos.

    Resposta
  • 2. cleber  |  fevereiro 3, 2012 às 12:41 pm

    não é melhor. não é pior. é apenas mais do mesmo que já vimos antes, tudo na mesma proporção, divertido, agil, boas cenas e os protagonistas continuam ótimos. um bom filme.

    Resposta
  • 3. Reinaldo Matheus Glioche  |  fevereiro 3, 2012 às 1:59 pm

    Não avalio o filme tão positivamente como vc, mas concordo que Ritchie não tem o que temer quanto a sua carreira de diretor.
    bjs

    Resposta
    • 4. Kamila  |  fevereiro 3, 2012 às 7:47 pm

      Paulo, o Jared Harris está um vilão excelente nessa continuação. Obrigada! Pra você também! Beijos!

      Cleber, eu achei melhor…

      Reinaldo, pois é. Tá na hora de ele partir pra outra, já! Beijos!

      Resposta
  • 5. Fabrício  |  fevereiro 3, 2012 às 2:26 pm

    Eu não gostei muito da continuação, principalmente o seu início, que achei confusa – além da fotografia estranha e escura que atrapalha a compreensão do enredo. E mais, tem personagens totalmente descartáveis, particulamente os femininos como a cigana Simza e a trambiqueira Irene. Mas quando o filme sai de Londres, ele ganha um novo fôlego, e torna mais interessante ao tirar sarro da amizade “suspeita” entre Holmes e Watson, como na hilária cena do trem.

    Resposta
  • 6. wallace3110  |  fevereiro 3, 2012 às 7:24 pm

    Acho o primeiro filme bacaninha, gosto da dupla Downey Jr./Law, mas me incomodo bastante com a traminha boba e com a forma como os mistérios são resolvidos, à lá Scooby-Doo. Mas confesso que, apesar de uma resistência inicial, já estou com uma certa vontade de assistir esse segundo filme. Talvez encare durante essa semana…

    Resposta
    • 7. Kamila  |  fevereiro 3, 2012 às 7:48 pm

      Fabrício, eu concordo que as personagens femininas são bem descartáveis aqui. E também concordo que o filme ganha fôlego quando sai de Londres. A verdade é que a relação entre Holmes e Watson é o grande destaque desse filme.

      Wallace, eu gosto do primeiro filme e não sei dizer se a trama dessa continuação, por exemplo, é boba… Assista a essa continuação, sim, e depois diga o que achou.

      Resposta
  • 8. Otavio Almeida  |  fevereiro 3, 2012 às 8:33 pm

    Hmm, a cena final é muito boa. Pelo menos…

    Bjs!

    Resposta
  • 9. Amanda Aouad  |  fevereiro 3, 2012 às 9:41 pm

    Pois é, um bom filme, com um ótimo vilão e uma aventura envolvente. Gosto mais desse que do primeiro.

    Resposta
    • 10. Kamila  |  fevereiro 3, 2012 às 10:01 pm

      Otavio, também achei boa! Beijos!

      Amanda, eu gosto dos dois filmes, igualmente.

      Resposta
  • 11. Elloa  |  fevereiro 6, 2012 às 11:59 am

    Não vi o filme, mas gostaria de saber a sua opinião sobre a estréia de Noomi Rapace em Hollywood.

    Resposta
  • 12. João Linno  |  fevereiro 6, 2012 às 4:34 pm

    Não gostei do primeiro filme, e estou um pouco receoso de ver esse. Acho que vou esperar pra ver em DVD mesmo…

    Resposta
    • 13. Kamila  |  fevereiro 6, 2012 às 11:45 pm

      Elloa, olha, eu não a conhecia. O papel dela não tem muito destaque e ela não compromete o filme.

      João Linno, em DVD vai funcionar tão bem quanto se você assistisse a esse filme no cinema.

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 452,950 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: