A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I

dezembro 8, 2011 at 11:24 pm 21 comentários

Último livro da saga “Crepúsculo”, a adaptação de “Amanhecer” segue a linha vista recentemente em “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, com a história retratada no livro sendo dividida em duas partes cinematográficas, de forma a saciar os desejos dos fãs da série (que não querem que ela termine logo) e, claro, encher um pouco mais os cofres dos estúdios cinematográficos, que querem aproveitar o sucesso dessas franquias até a última gota.

A estrutura narrativa de “Amanhecer” facilitou bastante o trabalho da roteirista Melissa Rosenberg em dividir a história em duas partes, uma vez que na própria obra literária existe uma separação entre dois pontos de vista narrativos diferentes, o que permite a possibilidade de múltiplas abordagens para esta trama. A escolhida por Rosenberg, nesta primeira parte do filme, foi enfocar o casamento de Edward Cullen (Robert Pattinson) e Bella Swan (Kristen Stewart) e os desdobramentos deste acontecimento nas vidas do casal central e de Jacob Black (Taylor Lautner), o terceiro vértice deste triângulo amoroso.

Neste sentido, o primeiro ato de “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I” é perfeitamente orquestrado pelo roteiro escrito por Rosenberg, pela direção de Bill Condon e pelo ótimo trabalho de montagem feito por Virginia Katz. Nele, estão presentes todos aqueles elementos que fizeram com que platéias de todo o mundo amassem esta série literária e cinematográfica: a fantasia, o lirismo e o romantismo do amor à moda antiga de Edward e Bella, bem como a persistência, a coragem e o carisma de Jacob, o antagonista que todo mundo adora.

A grande diferença entre estes filmes e os outros da série é que nunca como agora as transformações pelas quais Bella Swan passou, ao longo dos livros/longas, estão tão visíveis. Bella se tornou uma mulher. Bella tem força e segurança suficientes para ter ainda mais certeza daquilo que quer. Bella sabe quais são os aliados que têm que conquistar em sua busca. Seu desejo não é mais um capricho de um amor juvenil. Seu desejo é uma necessidade de vida. Algo do qual nem ela, nem Edward e, muito menos Jacob, irão fugir mais.

Isto está totalmente perceptível no grande ponto de transição da trama de “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I”: a descoberta de que Bella está grávida de Edward, algo que parecia ser inconcebível, com o perdão do trocadilho. Curioso perceber que é a partir deste instante que o longa começa a apresentar grandes problemas, especialmente nos elementos de edição e roteiro que elogiamos anteriormente. Os acontecimentos passam a ser retratados de uma forma muito atropelada e apressada. Personagens entram e saem de cena sem qualquer desculpa. No final, existem coisas que somente quem leu o livro irá captar de uma maneira mais completa.

A chegada de um diretor experiente e vencedor do Oscar como Bill Condon a esta franquia foi saudada com entusiasmo pelos fãs. Triste perceber que, naquele que é o seu ponto mais forte (a direção de atores), Condon nada acrescentou à “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I”, uma vez que as atuações continuam sofríveis (a participação de Maggie Grace chega a ser constrangedora). Um outro ponto importante a ser observado no trabalho de Condon neste filme é que ele alterna bons e maus momentos como diretor neste longa. Se ele deixa a história fugir de suas mãos no segundo ato, ele volta no final para consertar as besteiras que fez com uma outra cena perfeitamente editada naquele que é o grande momento de “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I”, mesmo que, no cinema, ele não tenha o mesmo poder que teve na forma como foi descrito por Stephenie Meyer no livro. A cena é perfeita em mostrar aquele exato instante em que a vida de Bella nunca mais será a mesma. Mas, isso é assunto para “A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte II”, que estreia em novembro de 2012 em todo o mundo.

Cotação: 6,0

A Saga Crepúsculo: Amanhecer – Parte I (The Twilight Saga: Breaking Dawn – Part I, 2011)
Direção: Bill Condon
Roteiro: Melissa Rosenberg (com base no livro escrito por Stephenie Meyer)
Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Gil Birmingham, Billy Burke, Sarah Clarke, Ty Olsson, Ashley Greene, Jackson Rathbone, Peter Facinelli, Elizabeth Reaser, Kellan Lutz, Nikki Reed, Anna Kendrick, Michael Welch, Michael Sheen, Christian Camargo, Mia Maestro, Maggie Grace

Entry filed under: Cinema.

A Pele que Habito Cena da Semana

21 Comentários Add your own

  • 1. Paulo Ricardo  |  dezembro 9, 2011 às 12:12 am

    Desde que o “bichinho do cinema” me pegou e eu virei um cinéfilo(apaixonado pela cinéfila nossa que sacada horrivel rss)eu acompanhei o nascimento de várias franquias.As que eu não gostei,mas admito o sucesso:”Matrix”,”Harry Potter”,”As Cronicas de Nárnia” e tem as franquias nas quais eu me tornei fã:”O Senhor dos Anéis”,”Homem Aranha”,”Batman” e a “trilogia Jason Bourne”.A pior franquia que eu já vi foi essa.

    Beijos.

    Responder
  • 2. CeloSilva  |  dezembro 9, 2011 às 12:13 am

    Não li nenhum dos livros, mas é interessante perceber as percepções de uma pessoa q os leu. A historias da saga Crepusculo não me agradam, acho tudo meio superficial e juvenil demais, mas respeito quem gosta. Não sou desses q malha o filme como se fosse a pior coisa do mundo.

    Responder
  • 3. Júlio Pereira  |  dezembro 9, 2011 às 12:16 am

    Acho um tanto quanto ruim a franquia Amanhecer. Mas esse se sobressaiu, por incrível que pareça. Apesar de eu ter dado 3 estrelas na época que vi, arrependi e dou 2 atualmente. http://www.lumi7.com.br/2011/11/amanhecer-parte-1.html

    Responder
    • 4. Kamila  |  dezembro 9, 2011 às 1:02 am

      Paulo, existem franquias bem piores que ‘Crepúsculo”. Exemplo: as da série ‘Todo Mundo em Pânico’ e as diversas sátiras… As pessoas têm birra com “Crepúsculo”, porém com razão. Não vou defender a série aqui! rsrsrs Beijos!

      Celo, eu li todos os livros e assisti a todos os filmes e o trabalho de adaptação só foi bem feito em “Crepúsculo” e “Lua Nova”… Espero que eles melhorem na parte dois. E gosto da sua visão! Que bom que você não malha desse filme por malhar.

      Júlio, eu acho que esse filme não é tão ruim quanto estão pintando, mas respeito a opinião contrária, desde que bem fundamentada. Lerei sua crítica.

      Responder
  • 5. Paulo Ricardo  |  dezembro 9, 2011 às 12:28 am

    Celo Silva

    concordo contigo,mas o que me irrita muito na “Saga Crepusculo” é que o roteiro não evoluiu.A história fica sempre na mesma.Não sou fã de “Harry Potter”,mas vejo grandes qualidades na franquia.”As Reliquias da Morte-Parte 2″ e “O Prisioneiro de Azkaban” tem muitas qualidades e a série tem qualidades artisticas também(direção de arte é sempre impecavel e a trilha tbm tanto de John Williams quanto de Alexandre Desplat).E vejo a honestidade que J.K Rowling tem com os fãs e com a transposição dos livros para a tela(chega a exagerar como foi o caso de Alfonso Cuaron que dirigiu o filme com a menor bilheteria mas o favorito da critica).Já a “Saga Crepusculo” tem uma história que não evoluiu,atores canastrões(é bom Robert Pattinson arrumar outra profissão depois que esse filme acabar).Acho legal você respeitar os fãs,porque nem respeito eu tenho por eles.Um LIXO total!

    Qual é a sua franquia favorita e a pior que vc já viu no cinemas? a minha favorita é “Batman”,a pior é essa.

    Abs

    Responder
    • 6. Kamila  |  dezembro 9, 2011 às 1:03 am

      Paulo, me metendo! Realmente, o roteiro não evoluiu, diferente do que vimos na série “Harry Potter”, que evoluiu bastante, até mesmo em termos cinematográficos. Dizer que Robert Pattinson é canastrão é não admitir o esforço dele em outros filmes como “Água para Elefantes” e “Lembranças”, nos quais ele até está razoável. Existem atores piores. E respeite os fãs de “Crepúsculo”, tadinhos! rsrsrsrs Abraços!

      Responder
  • 7. CeloSilva  |  dezembro 9, 2011 às 1:16 am

    Paulo, o minimo q se pode fazer é respeitar…hehhe… mas até entendo a aversão q se possa ter em relação a serie, até pq ela não motiva em nada, mas no final se deve ver mais pelo lado pop mesmo, não dá para exigir muito. Acho Pattison ruim, mas não é o pior, tem lenha para queimar, deve se esforçar e provar o contrario. Qt as franquias, gosto muito do Star Wars, até dos criticados mais recentes, essa deve ser a minha preferida. Gosto do Cavaleiro das Trevas, mas acho Begins meio mais ou menos, dos antigos gosto das do Burton, mas as do Schumacher ninguem merece…heheh…Abração!

    Responder
  • 8. Amanda Aouad  |  dezembro 9, 2011 às 1:22 am

    “No final, existem coisas que somente quem leu o livro irá captar de uma maneira mais completa.” – Pois é, isso é uma das coisas que mais me incomoda nos filmes da Saga Crepúsculo, nesse especialmente, a gente se sente enganado em alguns pontos pela falsa de explicação e preparação. De Amanhecer, achei interessante do parto em diante, tirando a solução para a luta, foi bastante tenso.

    Responder
    • 9. Kamila  |  dezembro 9, 2011 às 1:56 am

      Amanda, eu gostei do primeiro ato, como falei, e adorei também do parto em diante. Mas, realmente, a roteirista deveria se preocupar com quem não leu o livro, em apresentar o material da forma mais clara possível.

      Responder
  • 10. Luís  |  dezembro 9, 2011 às 1:59 am

    O simples fato de haver uma modificação em Bella já me anima para assistir a esse filme. Ainda não conferi o anterior, mas pretendo fazê-lo logo a fim de ver esse e ver como acontece o desdobramento das situações nessa primeira parte.

    Excelente resenha. Você me convenceu de que o filme não é tão ruim como a maioria dos cinéfilos têm apontado.

    Responder
  • 11. Eri Jr.  |  dezembro 9, 2011 às 4:26 pm

    Kamila, não achei o filme péssimo, tem alguns bons momentos, o parto como você falou é uma cena que marca, e no mínimo é melhor que qualquer um dos outros. Acho que Condon conseguiu ajudar nesse ponto. Quanto a Pattinson, por Deus… alguém devia aconselhá-lo a se aposentar jovem! rsrs =D

    Responder
    • 12. Kamila  |  dezembro 10, 2011 às 3:21 pm

      Luís, o legal é você conhecer as tramas dos filmes anteriores para poder até mesmo acompanhar a de “Amanhecer – Parte I”. Obrigada!

      Eri, eu também não achei o filme péssimo. Ele realmente tem bons momentos e que fazem com que a obra se sobressaia. Mas, não entendo a insistência de vocês em chamar o Pattinson de péssimo ator. Como eu disse, o Robert é um ator que provou ter o mínimo de talento e esforço, em filmes como “Lembranças” e “Águas para Elefantes”.

      Responder
  • 13. Elton Telles  |  dezembro 10, 2011 às 8:28 pm

    Acho a saga péssima, mas achei esse 4.1 como o menor pior, o que não o libera de ser um péssimo filme ainda rs. Metade do filme funciona daquele jeito, né? Mas a metade final é uma tortura de chata e desinteressante até a hora q Bella toma Ice Blue Juice de canudinho, ai ai HAHAHAHA

    bjs, Ka!

    Responder
  • 14. Matheus Pannebecker  |  dezembro 10, 2011 às 10:28 pm

    Kamila, já nem consigo mais me irritar tanto com “Crepúsculo”. Nessa altura do campeonato, é muito difícil que alguma coisa mude aí. E o público deveria se conformar com isso!

    Responder
    • 15. Kamila  |  dezembro 11, 2011 às 12:54 pm

      Elton, exatamente. Metade do filme funciona, a segunda metade é muito ruim, até a parte final, para mim! rsrsrs Beijos!

      Matheus, não tem mesmo que se irritar com a saga. Você está mais do que certo! Concordo plenamente contigo!

      Responder
  • 16. Mayara Bastos  |  dezembro 11, 2011 às 9:33 pm

    Dos filmes da Saga, este foi o que achei pior por causa da história absurda. Tem coisa ai que não consegui aceitar (como o lance do Jacob quase no final). Mas, gostei da direção do Condon (apesar de atropelar um pouco, achei esforçada) e da direção de arte. Estou adiando o livro faz tempo, vou tentar ler nas férias.

    Beijos!

    Responder
    • 17. Kamila  |  dezembro 12, 2011 às 12:35 am

      Mayara, a história, na realidade, não é absurda… O que eu não aceito também é o lance do Jacob: acho nojento e doentio, pra falar a verdade… Beijos!

      Responder
  • 18. Cristiano Contreiras  |  dezembro 13, 2011 às 3:37 am

    Ka, como te disse, achei bem adaptado e não vi esses problemas que você cita não. Nem mesmo vejo esses “personagens que entram e sai”, se tem algo nesse tom nem prejudica. E, ah, prefiro o segundo ato que o primeiro, contrariando você, rs. Beijo! Que venha a parte 2 que, por sinal, é minha parte favorita do livro – o livro 3 de Bella.

    bj!

    Responder
    • 19. Kamila  |  dezembro 13, 2011 às 9:34 pm

      Cristiano, eu prefiro o primeiro ato. Espero mesmo que essa segunda parte seja melhor e que ela privilegie mesmo a perspectiva de Bella e da transformação dela. Beijos!

      Responder
  • 20. Lili  |  janeiro 1, 2012 às 12:41 pm

    A Stephenie Meyer realmente consegue nos prender e manipular nossas emoções no livro, o que não acontece com os filmes. Já que bons diretores passaram por esta saga, ou o problema é de roteiro
    ou são com os atores, deve ser díficil pra quem não leu os livros gostar dos filmes.

    Responder
    • 21. Kamila  |  janeiro 3, 2012 às 1:08 am

      Lili, concordo que o problema é de roteiro e com os atores, que são bem abaixo da média.

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 455.606 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: