Eu Queria Ter a Sua Vida

novembro 30, 2011 at 10:28 pm 10 comentários

Existe um certo ditado popular que diz que “a grama do vizinho é sempre mais verde!”. Tal frase representa aquele sentimento que temos, às vezes, de que a vida dos outros sempre é mais interessante, melhor ou menos difícil que a nossa. Esse ditado ainda é perfeito para representar o por quê de David Lockwood (Jason Bateman), um advogado bem-sucedido, com uma vida bastante estável, casado com Jamie (Leslie Mann) e pai de três lindas crianças sentir “inveja” da vida que seu amigo de infância Mitch Planko (Ryan Reynolds), um aspirante a ator, que mora num apartamento que parece um quarto de um estudante de colegial e que não tem responsabilidade ou maturidade alguma na vida leva.

O título nacional “Eu Queria Ter a Sua Vida”, do filme dirigido por David Dobkin, chega a ser ainda mais representativo dessa questão que falamos no parágrafo anterior. No decorrer da trama escrita por Jon Lucas e Scott Moore, vemos o desenho de uma situação bem parecida com a que foi retratada em filmes como “Tal Pal, Tal Filho” e “Sexta-Feira Muito Louca”. Ou seja, por algum acontecimento sobrenatural, as personalidades de David e de Mitch se misturam, de uma forma que um passa a viver a vida do outro e vice-versa.

Filmes como “Eu Queria Ter a Sua Vida” possuem uma lição de moral muito bem definida. Ao se colocarem um no lugar do outro e ao verem suas vidas de uma perspectiva bem diferente (neste sentido, o filme de David Dobkin possui momentos cômicos e dramáticos derivados dos “transtornos” que as mudanças de personalidades de David e Mitch provocam), os dois amigos podem empreender as transformações que são necessárias para que eles possam se tornar  pessoas melhores e seres com um caminho de vida cada vez mais permanente e que reforçam justamente o fato de que eles precisavam passar por essa situação em particular para poderem aprender estas coisas sobre eles mesmos e as pessoas que fazem parte do seu círculo familiar, profissional e pessoal.

Uma trama como a desse filme ainda proporciona aos seus atores a possibilidade de exercitarem algo muito importante: a possibilidade de enxergar o outro personagem, de também se colocar no lugar daquele outro ator e de imaginar o que ele faria se fosse você. Por isso mesmo, é muito bom ver o trabalho desenvolvido pela dupla Jason Bateman e Ryan Reynolds, os quais conseguem passar bem pela prova de interpretar os personagens um do outro. O destaque também vai para Leslie Mann, que se firma cada vez mais como uma coadjuvante de luxo dos filmes nos quais está envolvida, interpretando aqui um tipo bem parecido com o que ela fez em “Ligeiramente Grávidos”.

Cotação: 7,0

Eu Queria Ter a Sua Vida (The Change-Up, 2011)
Direção: David Dobkin
Roteiro: Jon Lucas e Scott Moore
Elenco: Ryan Reynolds, Jason Bateman, Leslie Mann, Olivia Wilde, Alan Arkin, Gregory Itzkin, Craig Bierko

Entry filed under: Cinema.

A Casa dos Sonhos Sexo sem Compromisso

10 Comentários Add your own

  • 1. Amanda Aouad  |  novembro 30, 2011 às 11:41 pm

    Realmente Jason Bateman e Ryan Reynolds fazem uma boa dobradinha aqui. E o filme é divertido, com altos e baixos, mas me surpreendeu.

    Responder
    • 2. Kamila  |  novembro 30, 2011 às 11:49 pm

      Amanda, exatamente. Concordo com teu comentário! 🙂

      Responder
  • 3. Paulo Ricardo  |  dezembro 1, 2011 às 4:10 am

    Originalidade não é o forte da dupla de roteiristas Jon Lucas e Scott Moore.Apesar do sucesso de bilheteria de “Se Beber,Não Case”,não podemos negar que é uma história que já foi contada diversas vezes(grupo de amigos na despedida de solteiras enche a cara em Las Vegas…).Concordo sobre Leslie Mann e acrescento outro detalhe:é uma grande atriz que não teve a oportunidade de interpretar um grande papel.Bjs.

    Responder
  • 4. João Linno  |  dezembro 1, 2011 às 10:01 am

    Gostei desse filme. Ryan Reynolds está bem solto em cena.
    A história é bobinha, porém divertida.

    Bjs.

    Responder
  • 5. CeloSilva  |  dezembro 1, 2011 às 10:34 am

    Tive problemas com esse filme, mas concordo q a dupla protagonista é talentosa

    Responder
    • 6. Kamila  |  dezembro 2, 2011 às 12:16 am

      Paulo, nem sabia que essa dupla de roteiristas tinha escrito “Se Beber, Não Case”. rsrsrsrs Pois é. E eu concordo com o que você acrescentou sobre a Leslie. Beijos!

      João Linno, eu também gostei desse filme. Como você bem disse, bobo e divertido. Beijos!

      Celo, quais problemas que você teve???

      Responder
  • 7. Luís  |  dezembro 1, 2011 às 3:51 pm

    Kamila, eu fiquei surpreso ao ler o que você escreveu: eu realmente não imaginava que o filme pudesse atingir níveis como os que você apontou e isso me deixou curioso para vê-lo. Gosto de comédias mais maduras e se essa é uma, eu decerto vou me enteter ao vê-la.

    Responder
  • 8. Kamila  |  dezembro 2, 2011 às 12:17 am

    Luís, nem eu imaginava que o filme fosse ser tão divertido. Assisti na curiosidade mesmo.

    Responder
  • 9. Júlio Pereira  |  dezembro 4, 2011 às 1:54 am

    Sinceramente, adorei o filme. Confesso que não me preocupei tanto com o que você aborda na sua crítica, tendo em vista que acho eu as lições de morais estão sempre presentes e são, na maioria das vezes, muito parecidas – disso, nos filmes de troca de corpos. Gosto mesmo é da desconstrução do gênero que costuma ser bem “família”, através de um humor negro ótimo. Fiz uma crítica dele:
    http://www.lumi7.com.br/2011/10/eu-queria-ter-sua-vida.html

    Responder
    • 10. Kamila  |  dezembro 4, 2011 às 8:33 pm

      Júlio, eu gostei do filme também. Perfeita sua observação sobre a desconstrução do gênero com o uso do humor negro. Lerei a sua crítica. Fiquei curiosa. 🙂

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,069 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: