O Rei Leão 3D

outubro 11, 2011 at 10:55 pm 20 comentários

Um filme vencedor de dois Oscars (de Melhor Trilha Sonora e de Melhor Canção Original), “O Rei Leão” foi lançado em 1994, num momento muito bom do ponto de vista criativo vivido pelo Walt Disney Studios, a produtora de animação mais tradicional do gênero. Basta lembrar que três anos antes do lançamento desta obra, a Disney havia estreado aquela que seria a sua animação máxima nesta década: “A Bela e a Fera”, primeiro longa do gênero a obter a prestigiada indicação ao Oscar de Melhor Filme.

Apesar de todo o fascínio que “A Bela e a Fera” causou (e ainda causa) em plateias de todo o mundo, temos que falar a verdade: foi “O Rei Leão” que marcou toda uma geração que crescia naquela época. Talvez, por esta razão, 17 anos depois do seu lançamento original, a Walt Disney Studios relança a obra em uma apresentação especial no formato 3D, nos cinemas, bem como a trilogia inteira em edições especiais no formato Blu-Ray, para os cinéfilos terem o produto em sua própria casa.

É fácil entender por quê “O Rei Leão” ainda causa impacto nos dias de hoje. A história do filme é toda calcada em elementos clichês, porém muito apelativos, do cinema. O personagem principal, Simba (dublado por Matthew Broderick, na versão original), nasceu destinado a se tornar rei do grupo de animais que era liderado por seu pai, Mufasa (dublado por James Earl Jones, na versão original). Entretanto, a inesperada morte de Mufasa e uma série de armadilhas que são orquestradas por seu tio, Scar (dublado por Jeremy Irons, na versão original), fazem com que Simba seja obrigado a se afastar do que o destino o reservava.

“O Rei Leão”, neste sentido, é uma jornada de autodescoberta que é vivida por Simba. Na medida em que ele se distancia do seu habitat natural, das pessoas que conhecia e entra em contato com novos seres, cresce e amadurece, o protagonista ganha a coragem que ele precisa para encarar seu passado novamente, assim como aqueles que são os erros que ele acha que cometeu, de forma a enfrentar os seus medos e tentar brigar para que o seu destino se transforme em realidade. Esta é uma lição de vida que causa identificação na platéia e que, mesmo após tanto tempo, é uma mensagem que não perde a graça.

Uma animação que contém todos aqueles elementos clássicos que fazem dos filmes produzidos pelo Walt Disney Studios obras que são facilmente reconhecidas pela platéia, “O Rei Leão” encontra a sua força na sua mensagem principal e naqueles que são os momentos musicais deste filme. Cenas como as que celebram o ciclo da vida (que segue uma trajetória ininterrupta, como tudo aquilo que faz parte de nossa existência), o Hakuna Matata (uma espécie de adaptação do conceito de “Carpe Diem” para os habitantes da selva) e a linda canção vencedora do Oscar “Can You Feel the Love Tonight”, de Elton John e Tim Rice, contribuem para a aura de fantasia e de emoção que este longa possui.

Cotação: 7,0

O Rei Leão (The Lion King, 1994)
Direção: Roger Allers e Rob Minkoff
Roteiro: Irene Mecchi, Jonathan Roberts e Linda Woolverton (com a supervisão de Brenda Chapman)
Com as vozes de: Matthew Broderick, James Earl Jones, Nathan Lane, Jeremy Irons, Robert Guillaume, Rowan Atkinson, Moira Kelly, Whoopi Goldberg

Entry filed under: Cinema.

Cowboys & Aliens Onde Está a Felicidade?

20 Comentários Add your own

  • 1. alan raspante  |  outubro 11, 2011 às 11:43 pm

    Ai, eu AINDA não assisti “O Rei Leão”, mas também nem tenho pressa, rs

    Responder
  • 2. Mateus Selle Denardin  |  outubro 12, 2011 às 12:32 am

    Sei do seu fascínio por A BELA E A FERA, mas particularmente acho O REI LEÃO infinitamente superior. Claro que lá o conto de amor à despeito de aparências é lindo, mas em REI LEÃO uma confluência de fatores faz com que seja uma obra mais polida — o mais curioso, porém, é que o filme inicialmente foi feito para tapar um buraco na ‘programação’ de lançamentos do estúdio. Vejo essa superioridade (dentre todas as animações já feitas, aliás) não apenas nas sequências musicais (a emoção de “Circle of Life”, o arrebatamento visual da animadíssima “I Just Can’t Wait to Be King”, a rima incrível de “Be Prepared” e o encanto de “Can You Feel the Love Tonight?”), não só na música épica de Hans Zimmer, nem nos desenhos dos animais, nem nas cores, nem na animação em si (o estudo que teve com animais de verdade é notável), mas especialmente na trajetória do protagonista em si, no seu arco narrativo. Clichê? Com certeza. Mas um clichê que é capaz de abrigar uma das sequências que considero entre as mais inspiradas do Cinema, aquela que começa na conversa de Simba e Rafiki e culmina na decisão daquele em assumir suas responsabilidades. Nunca uma animação alcançou tamanha razão na criação de diálogos (“É, o passado pode doer […]”) e atingiu tão forte tantos espectadores. Uma obra-prima.

    Responder
    • 3. Kamila  |  outubro 12, 2011 às 2:30 am

      Raspante, eu não tinha assistido “O Rei Leão’ e aproveitei esta oportunidade.

      Mateus, eu prefiro “A Bela e a Fera”, como já discutimos algumas vezes, no Twitter. Mas, entendo o fascínio das pessoas por “O Rei Leão”. O filme tem uma bela mensagem e bonitas cenas. Mas, eu não posso fugir do fato de que “A Bela e a Fera” me afeta muito mais…

      Responder
      • 4. Mateus Selle Denardin  |  outubro 12, 2011 às 4:30 am

        Com certeza, Kamila. Isso é o mais importante (além da história que se mantém com o filme). E A BELA E A FERA, afina, também atingiu muita gente — afinal, aquela indicação a Melhor Filme é algo notável.

  • 5. Reinaldo Matheus Glioche  |  outubro 12, 2011 às 3:18 am

    Concordo com tudo que vc disse. Para mim, O rei leão ainda é o grande filme da Disney. Agora, já que o negócio é colocar lenha na fogueira, me explica como é que esse 7 foi para aí depois dessa dissertação toda? rsrs
    Bjs

    Responder
  • 6. Paulo Ricardo  |  outubro 12, 2011 às 3:20 am

    Kamila “O Rei Leão” lembra infancia,esta eternamente na minha memoria afetiva,a música de Elton John “Can You Feel The Tonight Love” é uma das mais lindas que teve a honra de ganhar o Oscar,já ve o filme em 3-D não me anima muito,não entendi essa volta do filme aos cinemas.Quanto a ficar entre “A Bela e a Fera” e o “Rei Leão” eu prefiro o primeiro.Mas gosto de “Toy Story 3” também rss.Bjs.

    Responder
    • 7. Kamila  |  outubro 12, 2011 às 12:47 pm

      Mateus, com certeza. A indicação de “A Bela e a Fera” pra melhor filme é tão histórica que nunca mais se repetiu.

      Reinaldo, calma. Eu acho “O Rei Leão” um grande filme, mas pensava que tinha deixado subentendido em meu texto a minha preferência por “A Bela e a Fera”. Esse, sim, é o melhor filme que a Disney já produziu, na minha opinião. A nota 7,0 foi por causa da minha falta de envolvimento emocional com a história, apesar de “O Rei Leão” ser um grande filme. 🙂 Beijos!

      Paulo, “O Rei Leão” lembra muito a infância de gente da nossa geração. Disso não tenho dúvidas. Assisti ao filme pela primeira vez, neste relançamento em 3D e entendi porque ele é tão especial pra tanta gente. Mas, eu sou MUITO mais “A Bela e a Fera”. Beijos!

      Responder
  • 8. Flavio Junio  |  outubro 12, 2011 às 2:15 pm

    Oi Kamila, das canções sou mais fã de Circle of life , pra mim esta merecia vencer em detrimento a outra. Realmente é uma animação que entrou para a história. Pena que os recentes da Disney não tem mais aquela inventividade de antes…

    Responder
  • 9. Amanda Aouad  |  outubro 12, 2011 às 2:45 pm

    Olha, vou fazer coro a Reinaldo em relação a nota 7, hehe. Mesmo você não se envolvendo emocionalmente, tem que admitir que merece uma notinha maior, kkkkk.

    Talvez, você prefira A Bela e a Fera porque viu na infância e O Rei Leão só agora, não? Acho que Circle of life e a cena de abertura já valem muitos pontos para esse filme continuar sendo um clássico. Ah, mas isso não quer dizer que também goste muito de A Bela e a Fera.

    Responder
  • 10. Bruno Knott  |  outubro 12, 2011 às 4:03 pm

    Lembro-me bem do dia em que assisti a Rei Leão no cinema, com meus pais… realmente, foi uma experiência inesquecível.

    E outra coisa: com o coração eu daria nota 9, com a cabeça 7 também.

    Responder
    • 11. Kamila  |  outubro 12, 2011 às 10:57 pm

      Flávio, eu adoro “Circle of Life” também, apesar de achar “Can You Feel the Love Tonight?” LINDA.

      Amanda, pois é. Essa questão de nota é uma coisa muito subjetiva… rsrsrsrsrsrrs Pode ser que eu prefira ‘A Bela e a Fera’ mais porque ele marcou minha infância, diferente deste filme. A cena de abertura é muito bonita. Gosto dela.

      Bruno, 🙂

      Responder
  • 12. Cristiano Contreiras  |  outubro 12, 2011 às 5:43 pm

    Eu faço coro também, que nota baixa é essa, Ka? Nossa. Talvez, se você tivesse 8 anos e sentisse o que senti ao ver esse desenho na tela de cinema…talvez, sua nota fosse dez. Ou 11, quem sabe?

    Para mim, esse espetáculo da Disney é muito envolvente, até hoje. Mas, reconheço que quem viu, ainda criança, se entregou muito mais…

    Beijo!

    Responder
    • 13. Kamila  |  outubro 12, 2011 às 10:58 pm

      Cristiano, de novo. A questão da nota é uma coisa muito subjetiva. rsrsrsrsrrs Pois é. Tudo depende do momento, da atmosfera, do jeito que você viu o filme. Beijo!

      Responder
  • 14. victornassar  |  outubro 13, 2011 às 12:24 am

    O queeeee? Rei Leão é pra vida! xD “Hakuna Matata” é mantra tal qual o “Shake it up baby now”, de Ferris Bueller, ou “Somente o Necessário” de Mogli! Eu certamente fui um desses que assistiu ainda bem novinho e ainda chorou (ohh god) na época. Assisti a versão em 3D esses tempos no cinema. Embora admita que essa revisão me tenha atentado para alguns pontos deficientes do filme. Mas do mesmo modo me fez perceber o quão forte é a história! Pensando bem, há cenas muito pesadas para crianças ali, de uma conotação de morte/inferno/dor/vingança que pouco se vê nas animações de hoje em dia. E tive a certeza que estava diante de um grande filme quando, ao sair da sessão, vi uma série de crianças chorando e tantas outras cantando, do mesmo jeito como eu havia ficado em 1994.

    Agora eu gostaria muito de ver o filme japonês, “Kimba, o Leão Branco”, que dizem ter sido a inspiração [plágio talvez?] para o Rei Leão. E lá se vai meu mundo de novo, assim como aconteceu quando assisti “Ghost in the Shell” e me chateei um pouco com “Matrix”.

    Responder
  • 15. João Linno  |  outubro 13, 2011 às 2:12 pm

    Gosto de “O Rei Leão” mas não morro de amores. Aproveitei a oportunidade de vê-lo no cinema a pouco tempo mais pela nostalgia mesmo (relembrando os tempos de fita VHS verde da disney rsrs).

    Beijos.

    Responder
  • 16. cleber eldridge  |  outubro 13, 2011 às 6:11 pm

    A minha infância se resume nesse que é possivelmente o melhor da Disney ;**

    Responder
    • 17. Kamila  |  outubro 13, 2011 às 11:03 pm

      Victor, a história é forte, sim, mas o filme não me afetou. Talvez, tivesse afetado mais se eu tivesse assistido a ele pela primeira vez quando criança…

      João Linno, eu também não morro de amores pelo filme, apesar de ter gostado dele. Beijos!

      Cleber, a sua e a de muitos. 🙂

      Responder
  • 18. Matheus Pannebecker  |  outubro 14, 2011 às 3:10 am

    Kamila, como você sabe, também não acho “O Rei Leão” a última bolacha do pacote. Agora, vamos nos protejer das pedras hahaha

    Responder
    • 19. Kamila  |  outubro 15, 2011 às 12:08 am

      Matheus, vamos juntos nos proteger! rsrsrss

      Responder
  • 20. A Bela e a Fera « Cinéfila por Natureza  |  fevereiro 17, 2012 às 1:03 am

    […] como fez no ano passado, quando relançou “O Rei Leão” e “O Rei Leão 2” em apresentações especiais na tecnologia 3D, a Walt Disney Pictures faz […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,290 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: