O Turista

fevereiro 14, 2011 at 9:16 pm 29 comentários

Quando avista a visão de Elise Clifton-Ward (Angelina Jolie) lhe fitando em um corredor de um trem que parte de Paris rumo à Veneza, durante o primeiro ato de “O Turista”, filme dirigido pelo alemão Florian Heckel Von Donnersmarck, tenha certeza de que o único pensamento que passa pela mente do professor de matemática Frank Tupelo (Johnny Depp) é o seguinte: “meu Deus, devo ser o homem mais sortudo do mundo, afinal, com tantos olhares sendo dirigidos a esta mulher, por tantos outros homens, ela me escolheu, ela veio sentar-se ao meu lado”.

O que ele não sabe é que Elise não o escolheu por acaso. Ela sentou-se na frente dele, naquele determinado trem, porque foi ordenada a fazer isso pelo homem que ela ama, Alexander Pearce, um banqueiro que está sendo procurado porque roubou mais de 700 milhões de libras esterlinas de um mega empresário inglês. Ele também não sabe, mas, a partir do momento em que Elise passa a desfrutar de sua companhia, ele também começa a ser alvo de todos aqueles que estão procurando Pearce (além do mega empresário, temos a Scotland Yard, a Interpol, entre outros órgãos), pois todos eles sabem que o banqueiro fez uma cirurgia plástica para mudar seu rosto por completo e despistar aqueles que estão em seu encalço (a la José Dirceu). Portanto, para todos os efeitos, na mente de todos, menos na dele mesmo e na de Elise, Frank é Alexander.

O roteiro escrito por Florian, Christopher McQuarrie e Julian Fellowes (os dois últimos vencedores do Oscar, diga-se de passagem) se apoia muito em uma dúvida razoável que é típica de thrillers como “O Turista”. Quem está bem familiarizado com este gênero sabe muito bem que, em filmes desse tipo, você não pode confiar em muitas pessoas. Todos têm algo a esconder e as reviravoltas no roteiro são constantes. No caso de “O Turista”, talvez, os únicos personagens com motivações definidas são os de Paul Bettany (o agente da Scotland Yard que investiga o roubo de Alexander), Timothy Dalton (o Inspetor Chefe da Scotland Yard) e Reginald Shaw (Steven Berkoff), o empresário que foi vítima do banqueiro.

Quando decidiu fazer este filme, Angelina Jolie pediu que o mesmo fosse inspirado em uma obra clássica deste gênero como “Ladrão de Casaca”, de Alfred Hitchcock, que se passa em Mônaco e tem muita classe, elegância e finesse. Em “O Turista”, temos Veneza, a maravilhosa trilha de James Newton Howard e Angelina Jolie e Johnny Depp. Uma dupla, aliás, que prometia uma explosão em tela – talvez, até, de maior magnitude do que Jolie e seu marido Brad Pitt em “Sr. e Sra. Smith” –, mas o que acabamos assistindo é um filme que mais parece ter sido feito para satisfazer o ego da Srta. Jolie. O filme privilegia todas as suas curvas (ou falta delas, já que a atriz está magérrima), a sua sexualidade e, principalmente, o poder que ela exerce no sexo oposto. É um longa para mostrar que Jolie deu as cartas neste processo todo, exceto, claro, até a reviravolta final, em que um brilho é dado ao insosso personagem interpretado por Depp.

Cotação: 5,0

O Turista (The Tourist, 2010)
Direção: Florian Heckel Von Donnersmarck
Roteiro: Florian Heckel Von Donnersmarck
Elenco: Johnny Depp, Angelina Jolie, Paul Bettany, Timothy Dalton, Steven Berkoff, Rufus Sewell

Entry filed under: Cinema.

Cena da Semana A Última Música

29 Comentários Add your own

  • 1. Amanda Aouad  |  fevereiro 14, 2011 às 9:53 pm

    É, o filme foi feito para Angelina Jolie desfilar belos figurinos na bela Veneza. Uma pena, poderia ser um grande filme.

    Responder
  • 2. Alyson  |  fevereiro 14, 2011 às 10:12 pm

    Ainda não vi. Mas, voce foi a que mais expos o argumento “egocentrico” de seus atores, principalmente a da Jolie, com maior veemencia. Não tenho a minima vontade de conferir.

    Beijos, Kami!

    Responder
  • 3. Mayara Bastos  |  fevereiro 14, 2011 às 10:23 pm

    Gostei do ponto que citou em seu texto que o filme foi feito para satisfazer o ego de Ms. Jolie. No trailer deu para notar, além da falta de química dela com Depp. Desisti desse filme, vejo em DVD.

    Beijos! 😉

    Responder
    • 4. Kamila  |  fevereiro 15, 2011 às 2:18 am

      Amanda, exatamente… Só não sei se poderia ter sido um grande filme.

      Alyson, mas o egocentrismo dela, neste filme, ficou completamente claro para mim! Beijos!

      Mayara, exatamente… Beijos!

      Responder
  • 5. Rodrigo  |  fevereiro 14, 2011 às 10:52 pm

    Concordo com você, o filme foi feito para satisfazer o ego da Jolie. E aquele final não desce. Parece que foi mudado de última hora, porque a atuação de Depp contradiz completamente com a reviravolta. Enfim, um filme meia boca. Beijos

    Responder
  • 6. Victor Nassar  |  fevereiro 14, 2011 às 11:09 pm

    Um filme caça níquel. Não empolga, não diverte, não desperta nenhuma emoção. Tão apático quanto a atuação de Jolie. E um Jonnhy Depp com alguns traços de Jack Sparrow ainda. Uma grande decepção se analisado no quanto os dois ainda podem render como atores.

    Foi um filme que saí do cinema sentido que tinha jogado dinheiro fora.

    Responder
  • 7. Weiner  |  fevereiro 14, 2011 às 11:27 pm

    Engraçado que, a olhar pelos roteiristas, tem-se impressão de que o produto seria algo de elevado nível, né? E mesmo que não seja, acho que cumpriu a missão de entreter. Depp e Jolie encarnaram a própria caricatura, mas como seus personagens pediam caretas, tudo ficou convincente. Dei um 6,0.
    Beijos!

    Responder
    • 8. Kamila  |  fevereiro 15, 2011 às 2:24 am

      Rodrigo, acho que esse foi aquele tipo de filme que foi mudando a história na medida em que ia sendo filmado… Beijos!

      Victor, discordo que seja caça níquel. Acho que é um filme completamente errado desde o início. Concordo que não empolga, não diverte e é apático.

      Weiner, exatamente. Foi isso que eu pensei, mas não…. Nem entreter acho que conseguiu! Beijos!

      Responder
  • 9. Weiner  |  fevereiro 14, 2011 às 11:28 pm

    Ah, e deixei um selo pra você no meu blog! 🙂

    Responder
  • 10. Edward  |  fevereiro 15, 2011 às 12:24 am

    O filme não saiu muito da curva esperada para uma produção do tipo – requintada e de conteúdo superficial – mas eu não engoli de forma alguma o final. Roteiros que dão certas cartas e no final trapaceiam de forma tão rasteira praticamente destroem qualquer senso de estilo impresso pelo produtor/diretor/elenco.
    E eu concordo contigo sobre Jolie. Ela já estava couro e osso em O Procurado, e nesse isso fica tão evidente quanto. De que adianta ser linda desse jeito?

    Responder
  • 11. matheusfragata  |  fevereiro 15, 2011 às 12:48 am

    Donnersmarck possui uma paixão secreta por Jolie por isso sua submissão doentia a musa.
    Muito bom seu texto!

    Responder
    • 12. Kamila  |  fevereiro 15, 2011 às 2:25 am

      Weiner, obrigada! 🙂

      Edward, nem eu engoli aquele final! Ninguém engoliu, pelo jeito!

      Matheus, gostei da sua explicação para a submissão do diretor à figura de Jolie. Obrigada!

      Responder
  • 13. Paulo Ricardo  |  fevereiro 15, 2011 às 12:54 am

    A maior decepção que tive esse ano.2 astros do calibre de Jolie e Depp,um cineasta que debutou com uma obra prima(A Vida dos Outros),2 roteiristas Oscarizados e o resultado final é um filme morno e sem sal.Nem sempre o melhor cast e equipe proporciona um grande filme.Como O Turista consegiuu 3 nomeações ao Globo de Ouro?beijos.

    Responder
  • 14. Otavio Almeida  |  fevereiro 15, 2011 às 1:46 am

    Lixo de filme! Bjs!

    Responder
    • 15. Kamila  |  fevereiro 15, 2011 às 2:26 am

      Paulo, pois é. Uma decepção tendo em vista os envolvidos… Conseguiu indicações ao Globo de Ouro justamente por causa de quem estava envolvido! Beijos!

      Otavio, concordo! Beijos!

      Responder
  • 16. Alan Raspante  |  fevereiro 15, 2011 às 2:43 am

    Mesmo sendo tosqueira, eu estou com vontade de ver. Mas o meu bom senso não me deixa assistir no cinema, afinal, seria perca de tempo ver esse filme enquanto posso ver ‘O Vencedor” ou algo melhor. Enfim, ficou para o DVD. Se eu quiser ver Angelina Jolie de vestido e jogo no google, né? hehehehe

    Abs.

    Responder
    • 17. Kamila  |  fevereiro 15, 2011 às 3:04 am

      Raspante, verdade! rsrsrsrsrs É melhor deixar pro DVD mesmo! Abraços!

      Responder
  • 18. Reinaldo Matheus Glioche  |  fevereiro 15, 2011 às 12:38 pm

    A la José Dirceu foi ótima. rsrs. Pura verdade!
    eu gostei do filme. Achei que, no que propunha, funcionou bem.

    Beijos

    Responder
  • 19. cleber eldridge  |  fevereiro 15, 2011 às 12:44 pm

    Achei o filme apenas divertido – o resto é tudo mais do mesmo! Depp e Jolie estão caricatas demais, ainda assim, da pra se divertir um pouco, rs.

    Responder
  • 20. fabiana  |  fevereiro 15, 2011 às 3:34 pm

    Cara, eu não engoli essa parceria Jolie/Depp. Apezar de adorar o Depp.

    Responder
    • 21. Kamila  |  fevereiro 16, 2011 às 2:16 am

      Reinaldo, tive que dar essa alfinetada, desculpa! rsrsrs Beijos!

      Cleber, nem divertido, eu achei, mas concordo que Depp e Jolie estão pra lá de caricatos.

      Fabiana, nem eu engoli a parceria.

      Responder
  • 22. bruno knott  |  fevereiro 15, 2011 às 6:20 pm

    Já decidi que vou esperar o DVD tb… minha curiosidade é cada vez menor!!

    Responder
    • 23. Kamila  |  fevereiro 16, 2011 às 2:16 am

      Bruno, assistir a este filme em DVD é o melhor a se fazer mesmo!

      Responder
  • 24. hqsubversiva  |  fevereiro 17, 2011 às 9:58 pm

    Acabei indo ao cinema para assistir ao filme por causa de galera – aquela coisa que vai um vão todos, sabe? -, e achei bem insosso mesmo. Jolie sem a sensualidade de outros tempos, Depp bobalhão, reviravoltas vazias e um clima de elegância altamente artificial. Não sei, não me convenceu em nada mesmo, nem como filme da estirpe de “Sr. e Sra. Smith” – duas celebridades sexy de Hollywood se pegando loucamente, conquistando grandes bilheterias apenas pela presença de tela dos dois astros.

    Responder
    • 25. Kamila  |  fevereiro 18, 2011 às 2:09 am

      hqsubversiva, concordo com você, plenamente.

      Responder
  • 26. Romeika  |  fevereiro 18, 2011 às 8:32 am

    Pois eu fico com a obra do mestre Hitchcock. Achei “O Turista” risível de tão constrangedor (e ruim). Fiquei com vergonha alheia pelo meu querido Johnny Depp. Mas achei um luxo o figurino da Jolie (belíssima, mas assusta de tão magra).

    re: Estou 😦

    Responder
    • 27. Kamila  |  fevereiro 19, 2011 às 2:13 am

      Romeika, imaginei que estivesse com saudades daqui! 😦

      Eu também fico com a obra do Mestre Hitchcock. “O Turista” é risível mesmo! Concordo sobre o figurino da Jolie e sobre a magreza da mesma.

      Responder
  • 28. Suzana  |  fevereiro 24, 2011 às 12:51 pm

    Não sei… A trilha sonora é linda, mas, de alguma forma, parece que não se encaixa no filme… Sei lá, parecia “boa demais” pra ele, meio que “forçando” o filme a ter uma qualidade que não tem… Quando fechava os olhos, achava linda, mas no momento em que abria, achava muito “nada a ver”. Não esperava nada do filme, vai ver por isso me incomodei tanto com a trilha.

    Responder
    • 29. Kamila  |  fevereiro 24, 2011 às 10:20 pm

      Suzana, eu discordo de você em relação à trilha….

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,061 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: