Sonhos Roubados

dezembro 2, 2010 at 1:21 am 15 comentários

Quando estava fazendo o documentário “Meninas”, que fala sobre a explosão do número de adolescentes grávidas no Brasil, a diretora Sandra Werneck entrou em contato com o livro “As Meninas da Esquina”, de autoria de Eliane Trindade, que retratava o cotidiano de três adolescentes que encontravam na prostituição uma forma de melhorarem de vida. A adaptação deste livro se transformou no projeto mais recente da diretora: “Sonhos Roubados”, que tem roteiro escrito por Paulo Heim.

No filme, acompanhamos o cotidiano de três adolescentes que vivem em uma favela do Rio de Janeiro. Jéssica (Nanda Costa), Sabrina (Kika Farias) e Daiane (Amanda Diniz) são grandes amigas e possuem em comum algumas características: não vivem em ambientes com um núcleo familiar definido (a primeira é criada pelo avô, a segunda é órfã e a terceira é criada pelos tios), não possuem maturidade e, principalmente, a vida delas é tão sem perspectiva e sofrida que elas não enxergam outra alternativa a não ser venderem o próprio corpo para satisfazerem as suas necessidades de sobrevivência.

Cada uma destas personagens tem uma motivação diferente. Jéssica tem uma filha para sustentar, Sabrina é sozinha no mundo e Daiane é uma jovem que ainda mantém uma certa inocência, mas que cai nesse mundo porque ela tem uma gana de ser independente e de conseguir as coisas por ela mesma. Na medida em que a trama de “Sonhos Roubados” avança, vamos assistindo as três jovens ganhando força e consciência – entretanto, é curioso perceber que, mesmo amadurecendo diante dos problemas que enfrentam, as jovens são impotentes em realizar qualquer tipo de mudança significativa em suas vidas.

Um ponto a se notar também em “Sonhos Roubados” é a insistência de Sandra Werneck em nos mostrar as suas três personagens como vítimas do ambiente em que vivem. A verdade é que, assistindo ao filme, a impressão que se tem é a de que os sonhos de Jéssica, Sabrina e Daiane não foram roubados. Elas mesmas que se meteram na situação em que se colocaram. A saída que elas optaram foi a mais cômoda e a mais fácil para elas. Desta forma, fica meio difícil ter empatia por elas e pelos problemas delas – a única, diga-se de passagem, que nos causa compaixão é Daiane, essa sim teve sua inocência roubada.

Cotação: 5,0

Sonhos Roubados (2010)
Direção: Sandra Werneck
Roteiro: Paulo Heim (com base no livro de Eliane Trindade)
Elenco: Ângelo Antônio, Zezeh Barbosa, M.V. Bill, Nanda Costa, Daniel Dantas, Amanda Diniz, Kika Farias, Silvio Guindane, Marieta Severo, Nelson Xavier

Entry filed under: Cinema.

Anúncio dos Indicados ao Independent Spirit Awards 2011 Cena da Semana*

15 Comentários Add your own

  • 1. James  |  dezembro 2, 2010 às 1:25 am

    Um filme que até agora não despertou meu interesse, mas é algo á se pensar em um futuro próximo 😉

    Responder
  • 2. Cristiano Contreiras  |  dezembro 2, 2010 às 1:26 am

    Ué, achei que, ao final, a nota seria no mínimo 7.

    É que você destacou os pontos mais interessantes do filme, né?

    Mesmo assim, como te disse, tinha visto o trailer e tive oportunidade e vê-lo — mas, fica pra próxima! rs

    Beijo

    Responder
    • 3. Kamila  |  dezembro 2, 2010 às 1:37 am

      James, assista sem expectativas.

      Cristiano, exatamente. Meu foco foi esse aí. Beijo!

      Responder
  • 4. Paulo Ricardo  |  dezembro 2, 2010 às 6:49 am

    Sandra Werneck me deixou uma boa imprenssão no documentário Meninas e fez um trabalho digno no filme Cazuza.Vi esse filme com certa expectativa porque pensei que ele seria derivado do documentário(Meninas foi um dos melhores documentários nacionais que vi em 2005)e o resultado me decepcionou muito.É o filme que tem as qualidades e os defeitos dos filmes ruins brasileiros.Boas atuações(principalmente de Nanda Costa)e um roteiro ruim que não sabe aonde quer chegar.Ultimamente o cinema brasileiro esta tão bom que é dificl um filme que desaponte o espectador,mas Werneck não acertou nesse filme.Você foi feliz ao avaliar que as três jovens que se colocaram nessa situação.E o que é a participação do M.V Bill?ele tem uma cena de sexo e uma atuação bem canastrona.O Rapper devia repensar a carreira de ator,afinal ele não é tão engajado??Beijos Kamila.

    Responder
  • 5. Reinaldo Matheus Glioche  |  dezembro 2, 2010 às 12:45 pm

    Esse é o problema do cinema nacional se prestar a beatificar certas figuras. Enfim, ainda não vi este filme, mas sua opinião é consonante com grande parte da crítica.
    Bjs

    Responder
  • 6. Amanda Aouad  |  dezembro 2, 2010 às 1:32 pm

    É, Kamila, também esperava algo mais profundo do filme pelo documentário Meninas. O filme tem seus momentos, mas se perde principalmente no roteiro.

    Responder
    • 7. Kamila  |  dezembro 5, 2010 às 8:25 pm

      Paulo, a Sandra é uma diretora bastante irregular, na minha opinião. Não conheço o documentário no qual o filme se passa, mas “Sonhos Roubados” é um tanto irregular. E não achei a atuação do MV Bill canastrona, para te dizer a verdade. Beijos!

      Reinaldo, verdade. Beijos!

      Amanda, concordo!

      Responder
  • 8. Weiner  |  dezembro 2, 2010 às 2:23 pm

    Primeiramente devo dizer que o visual de seu blog ficou uma graça! Sobre o filme, devo dizer que concordo com muitas coisas, especialmente que estas são responsáveis pelo próprio destino; quando se olha de fora, dá impressão que todas são unicamente vítimas da “sociedade feroz”. E não é por aí.

    Responder
  • 9. Cassiano  |  dezembro 2, 2010 às 6:09 pm

    A Fita Branca!!! Cade? cade?

    Responder
  • 10. Alexsandro Vasconcelos  |  dezembro 2, 2010 às 8:33 pm

    Também não gostei dessa insistência em mostrar que elas se tornaram o que são por causa do meio. As duas personagens mais velhas principalmente pouco [nada] fazem pra mudar sua realidade e acabam se tornando personagens sem valor e de difícil contato com quem assiste. Gostei da canção da Maria Gadú para esse filme. Nem havia gostado de primeira, mas depois que vi no filme estranhamente passei a gostar mais. rsrs

    Responder
    • 11. Kamila  |  dezembro 5, 2010 às 8:26 pm

      Weiner, obrigada! 🙂 Exatamente.

      Cassiano, em breve, a crítica!

      Alexsandro, exatamente. Eu também gostei da música da Maria Gadu. Deve ser a melhor coisa desse filme, aliás.

      Responder
  • 12. Cassio Bezerra  |  dezembro 3, 2010 às 12:34 am

    PUTZ! rsrsrsrs

    Ka, eu ainda não conferi (e também não acredito que vá), mas é, no mínimo, hilária toda essa situação que tu expusestes.

    Bjo

    Responder
  • 13. Roberto Queiroz  |  dezembro 3, 2010 às 1:55 pm

    Ando saturado dessa vertente favela no cinema nacional, mas até que curti o Sonhos Roubados (porém, a Sandra Werneck é capaz de fazer coisa melhor).

    Responder
  • 14. Mayara Bastos  |  dezembro 4, 2010 às 2:55 am

    Lembro que o filme foi aclamado em alguns festivais, mas parece mais um filme superestimado neste tipo de recepção. Vejo, sem pressa.

    Beijos! 😉

    Responder
    • 15. Kamila  |  dezembro 5, 2010 às 8:27 pm

      Cassio, sinceramente, não vejo nada de hilário na situação que acabei de descrever! Beijo!

      Roberto, também acho essa vertente totalmente saturada. E concordo: a Sandra poderia ter feito algo melhor.

      Mayara, exatamente. Veja sem pressa e, principalmente, expectativa. Beijos!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,290 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: