Coração Louco

outubro 4, 2010 at 11:22 pm 25 comentários

Para o norte-americano, a música country é o equivalente à nossa música popular brasileira, uma vez que o ritmo faz uma mistura daquilo que é considerado tradicional com aquilo que é considerado popular. Alguns dos temas mais consistentes abordados pelos artistas deste gênero: bebidas, solidão, traição, amor, tristeza, autodestruição, nostalgia, a vida pacata no campo, mulheres, pobreza, pecados e, principalmente, redenção.

O personagem principal de “Coração Louco”, filme escrito e dirigido por Scott Cooper, é uma reunião de todos estes temas popularizados pela country music. Bad Blake (Jeff Bridges, numa performance que lhe rendeu o Oscar 2010 de Melhor Ator) é alcoólatra, solitário, pobre e triste. Interessante perceber que o personagem não parece viver da nostalgia de um sucesso, de uma riqueza, de uma boa fase que ele já viveu e que terminou há muito tempo – atualmente, a carreira dele está totalmente decadente e ele toca nos piores cantos das cidades pelas quais passa.

Apesar disto, o eixo narrativo de “Coração Louco” é a vontade de redimir Bad Blake. Neste sentido, o filme pega, além desses elementos típicos da música country, clichês de gêneros cinematográficos como o road movie (uma vez que Blake é um cara que vive uma existência errante, sem raízes fixas), já que a trama principal deste longa é a jornada de um homem em busca de acertar novamente ou de, pelo menos, fazer aquilo que é certo – importante mencionar também a boa vontade dos outros para com Blake, ou seja, a volta por cima dele só não vai dar certo se ele mesmo não quiser, pois tudo está nas mãos dele.

Por causa desta premissa principal da obra, o elemento mais importante de “Coração Louco” acaba sendo mesmo a ótima atuação do Jeff Bridges. Ele é o coração deste filme e a gente, na condição de plateia, também vai se envolver nesta história e torcer para que Bad Blake reencontre o seu caminho, porque a alma dele é boa mesmo. O diretor e roteirista Scott Cooper ainda acerta na construção de personagens coadjuvantes, como Jean, a repórter interpretada por Maggie Gyllenhaal (que foi indicada ao Oscar 2010 de Melhor Atriz Coadjuvante); Tommy Sweet (Colin Farrell), o cantor de sucesso que foi ajudado por Blake no início de sua carreira; o empresário Jack (Paul Herman), que nunca desiste de Bad; e Wayne (Robert Duvall), o amigo que vai dar o empurrão final para que Blake retome as rédeas de seu destino.

Cotação: 8,0

Coração Louco (Crazy Heart, 2009)
Direção: Scott Cooper
Roteiro: Scott Cooper (com base no livro de Thomas Cobb)
Elenco: Jeff Bridges, Paul Herman, Ryan Bingham, Maggie Gyllenhaal, Colin Farrell, Robert Duvall

Entry filed under: Cinema.

Cena da Semana Gente Grande

25 Comentários Add your own

  • 1. alan raspante.  |  outubro 4, 2010 às 11:37 pm

    Gostei bastante do filme em si, gostei da tranquilidade que abordou o personagem. Jeff Bridges, mereceu o Oscar (ainda que preferisse a estatueta nas mãos de Colin Firth). Um bom filme.

    Responder
    • 2. Kamila  |  outubro 4, 2010 às 11:40 pm

      Raspante, não acho que o Bridges merecia. O Firth estava bem melhor!

      Responder
  • 3. Reinaldo Matheus Glioche  |  outubro 5, 2010 às 1:08 am

    Boa crítica Ka. O típico filme de ator que vem embalado em uma canção matadora. Boa comparação com a nossa MPB, pois a música Country é tão encantadora quanto.
    Bjs

    Responder
    • 4. Kamila  |  outubro 5, 2010 às 1:13 am

      Reinaldo, obrigada! Eu adoro e sou fã de música country! Beijos!

      Responder
  • 5. Renan Canuto  |  outubro 5, 2010 às 1:58 am

    Jeff Bridges está impecável, carrega o filme nas costas. Não por egoísmo, mas pelo simples fato de ser a estrela, de ter tido êxito no papel que lhe foi dado. Atuação magnífica, tocante! Impossível não tocar seu coração – como diz o slogan do filme.

    E o que um homem, mesmo decadente, bêbado, doente, não faz quando apaixonado, hein?!

    As canções são belíssimas. Aliás, um detalhe: tanto Colin Farrell quanto Jeff Bridges cantam bem, notou?

    Filmaço!

    @RenanCanuto

    Responder
  • 6. cleber eldridge  |  outubro 5, 2010 às 2:40 am

    Um filme razoável e ordinário, um tanto cansativo e bastante previsível, com clichês mal empregados e montagem arrastada. Jeff Bridges, que ganhou seu Oscar aqui, não merecia, apesar da atuação correta, ainda assim não havia espaço pra mais ninguém além do Firth! E convenhamos, a Maggie também não merecia aquele indicação!

    Responder
    • 7. Kamila  |  outubro 5, 2010 às 2:57 am

      Renan, exatamente. Ele que carrega este filme nas costas. Eles cantam muito bem mesmo.

      Cleber, discordo totalmente de você em relação ao filme e concordo sobre o Firth. Também acho que a Maggie não merecia a indicação.

      Responder
  • 8. Paulo Ricardo  |  outubro 5, 2010 às 6:49 am

    O filme não é ruim,a atuação de Jeff Bridges é muito boa,mas não gosto de “Oscar pelo conjunto da obra”.A Fox lançou o filme com antecedencia porque viu que havia possibilidade de Bridges ser nomeado.Ele é um grande ator,querido pela indústria e tem simpatia dos votantes,diferente de Mickey Rourke por exemplo,que ganhou todos os premios,menos o Oscar.Colin Firth ganhou o Bafta e o Cup Volpi em Veneza e Jeff Bridges o Globo de Ouro e o Independente Spirit Awards.O maior premio ficou com o veterano ator americano.Mas justiça seja feita.O Filme Coração louco é muito bom,realmente é uma história bem amarrada e com 2 grandes atuações(Bridges e Gyllenhaal),gosto também da cena de Robert Duvall pescando e da cena em que Farrel e Bridges conversam em um bar.Quer saber Kamila,fiquei com vontade de rever esse filme,eu vi na época de premiações.Vou dar uma revisada em Coração Louco.Beijos.

    Responder
  • 9. Amanda Aouad  |  outubro 5, 2010 às 11:54 am

    Gosto do filme, mas concordo que a atuação de Jeff Bridges é a melhor coisa dele. Acho interessante a forma como termina, mais realista, menos clichê.

    Responder
    • 10. Kamila  |  outubro 5, 2010 às 1:51 pm

      Paulo, o pior é que, na maior parte das vezes, acontece isso mesmo: a entrega de um Oscar pelo conjunto da obra daquele ator em particular. O Bridges não será o último nesta situação. Eu adorei o filme, mas acho que o Firth deveria ter ganho o Oscar de Melhor Ator. Beijos!

      Amanda, eu também adorei o final da obra!

      Responder
  • 11. Otavio Almeida  |  outubro 5, 2010 às 2:45 pm

    É um bom filme. Nem mais nem menos. Valorizado pela atuação de Jeff Bridges, ator muito querido pela indústria. Oscar é prestígio em Hollywood, reconhecimento. Poucas vezes é dado a quem realmente merece no ano, como Sam Mendes, em 2000, por “Beleza Americana”, que vinha do teatro, sem bagagem no cinema, mas que provou que merecia a estatueta. Eu demorei pra perceber isso, admitir. Mas é a verdade. Quem escolhe baseando-se nos melhores desempenhos no ano é a SBBC, não a Academia de Hollywood. Hehe…

    Sobre merecer, meu ator favorito em 2009 foi Joaquin Phoenix, por “Amantes”, que nem foi indicado ao Oscar. Entre os indicados, minha escolha seria o Jeremy Renner, embora todos tenham merecido suas indicações.

    Bjs!

    Responder
  • 12. Pedro Henrique  |  outubro 5, 2010 às 5:47 pm

    Filme muito agradável de se assistir. Veria muitas vezes novamente! Jeff é o cara – e tem tudo pra o ser de novo no próximo filme dos irmãos Coen, que tô doido pra ver.

    Abs!

    Responder
    • 13. Kamila  |  outubro 5, 2010 às 8:25 pm

      Otavio, realmente, a atuação do Jeff Bridges valoriza este filme.E concordo contigo que o Oscar é resultado do prestígio em Hollywood e do reconhecimento, bem como daqueles que realmente fazem a melhor campanha para vencer. Tem que mostrar que quer ganhar! Entre os indicados, eu fico com Colin Firth, em 2009. Beijos!

      Pedro, eu também veria esta obra muitas vezes. Abraços!

      Responder
  • 14. Cristiano Contreiras  |  outubro 5, 2010 às 8:58 pm

    A atuação de Jeff Bridges torna o filme mais saboroso, eu diria! mais tocante, mais emocional e bom de se ver. Acho um ótimo filme e concordo e muito com tua nota, Kamila!

    Mas, repito: Firth merecia muito mais o prêmio, só quem SENTIU Direito de Amar sabe do que falo.

    No mais, gosto deste filme pela direção também que considero bem cuidada.

    Beijo!

    Responder
    • 15. Kamila  |  outubro 5, 2010 às 10:24 pm

      Cristiano, a atuação dele torna mesmo o filme mais saboroso. E Firth merecia muito mais esse Oscar. Beijos!

      Responder
  • 16. Candy Pop  |  outubro 5, 2010 às 10:55 pm

    Eu amei o filme, e a parte que mais gostei dele, foi a atuação (>:

    Responder
    • 17. Kamila  |  outubro 6, 2010 às 3:17 pm

      Candy Pop, a atuação melhora – e muito – um filme que já é ótimo!

      Responder
  • 18. Luis Galvão  |  outubro 6, 2010 às 6:08 pm

    Muitos nem gosteram do filme, mas eu sou apaixonado por esse lado norte americano do country, adoro a Maggie e o Jeff. Ou seja, neste filme tem tudo que eu poderia pedir. Gostei bastante.

    Responder
  • 19. Vinicius Silva  |  outubro 6, 2010 às 6:59 pm

    Adoro esse filme. E nem sou fã de música country (prefiro o Folk), mas tive que baixar alguns CDs que são citados no filme para poder escutar com um ouvido mais aguçado.

    Um excelente filme, com uma interpretação maravilhosa do The Dude. Sem contar que a Maggie Gylenhaal, quem diria, também está muito bem em seu papel.

    Responder
    • 20. Kamila  |  outubro 6, 2010 às 9:42 pm

      Luís, eu também adoro country norte-americano.

      Vinícius, mas a Maggie é uma ótima atriz. E entre em contato com a música country. Se você gosta de folk, vai adorar este estilo!

      Responder
  • 21. Rafael Carvalho  |  outubro 6, 2010 às 10:15 pm

    Gosto desse filme, mas não acho que seja nada demais, um tipo de história batida, já muito reprocessada pelo cinema, mas que conserva seu tantinho de sinceridade para com o protagonista. E ao mesmo tempo em que a atuação do Bridges seja muito boa, também me soa bastante previsível. As músicas do filme são ótimas.

    Responder
    • 22. Kamila  |  outubro 6, 2010 às 10:23 pm

      Rafael, perfeito seu comentário e concordo com boa parte do que você disse.

      Responder
  • 23. Paloma  |  outubro 7, 2010 às 12:19 am

    Me encatei por esse filme, principalmente pelo Jeff Brigdes que está maravilhoso realmente valeu o OSCAR…(e claro que o Collin Farrel tá lindissimo) e fora que amei a trilha sonora country…e a música tema do filme…que é belissima…”And this ain’t no place for the weary kind
    And this ain’t no place to lose your mind
    And this ain’t no place to fall behind
    Pick up your crazy heart and give it one more try”

    beijos

    Responder
  • 24. Matheus Pannebecker  |  outubro 7, 2010 às 3:17 am

    É um filme apenas satisfatório. Na realidade, acho que é o carisma do Bad Blake e do Jeff Bridges que deixam essa sensação. Gostei muito da interpretação dele. O problema é que no Oscar tinha Colin Firth, que estava além do perfeito…

    Responder
    • 25. Kamila  |  outubro 7, 2010 às 9:15 pm

      Paloma, eu prefiro o Colin Firth. Acho que ele merecia mais o Oscar que o Bridges. Eu amo música country e este filme fez jus à este gênero musical.

      Matheus, também acho que o sucesso deste filme está ligado ao carisma do Bridges e do personagem que ele interpreta. Verdade. O Firth estava além da perfeição!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,290 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: