O Amor Pede Passagem

março 10, 2010 at 12:54 am 18 comentários

Ao ver que Steve Zahn iria fazer par romântico com Jennifer Aniston em “O Amor Pede Passagem”, me lembrei exatamente do que eu pensei quando vi “Paixão de Ocasião”, longa em que a atriz de “Friends” se envolvia com o personagem de Jay Mohr: eles não combinam. Felizmente, nos dois casos, os dois pares acabaram funcionando muito bem. E, ao assistirmos ao filme dirigido e escrito por Stephen Belber, chegamos à conclusão de que Mike não poderia ter sido interpretado por outro ator além de Zahn, uma vez que ele retrata com perfeição o lado estranho, paspalho e tímido do personagem. 

Apesar de ele ter essas qualidades (que não necessariamente são ruins, dependendo da situação), Mike é um homem de caráter extremamente bom. Ele se preocupa com a mãe de saúde delicada (Margo Martindale), é aquele que tem coragem de dizer ao pai (Fred Ward) aquilo que ele tem que escutar e, apesar de ser totalmente insatisfeito com a vida como gerente noturno do motel da família, ele desempenha a sua função com total afinco e não tem medo de parecer ridículo quando toca no meio da noite na porta do quarto ocupado por Sue (Aniston) com uma cantada totalmente constrangedora para qualquer um. 

Provavelmente, Sue se deixou envolver com Mike por pura pena dele. E o gerente, com certeza, deve ter ficado surpreso de ver uma mulher bem-sucedida e inteligente como Sue cedendo às suas investidas. Talvez, por isso mesmo, ele acabe surpreendo-a constantemente no decorrer de “O Amor Pede Passagem” com enormes atos de amor e com ações que são altamente altruístas, mas que, no fundo, possuem somente a intenção de provar para Sue que ele tem valor e que ela não deveria sentir vergonha de querer construir uma vida ao lado dele no futuro. 

“O Amor Pede Passagem” é um filme que consegue nos enganar. Imaginamos que ele seja uma comédia romântica com aqueles elementos típicos do gênero, mas, na realidade, o filme de Stephen Belber retrata a jornada de um homem que passa de ser “invisível” a alguém mais forte, decidido e totalmente ciente daquilo que ele quer ser e de quem ele quer ter ao lado dele no caminho que ele quer trilhar. É uma obra que vai te conquistando aos poucos e que termina com uma cena para lá de fofa e que vai deixar você satisfeito com o que viu. 

Cotação: 6,0

O Amor Pede Passagem (Management, 2008)
Direção: Stephen Belber
Roteiro: Stephen Belber
Elenco: Jennifer Aniston, Steve Zahn, Margo Martindale, Fred Ward, Woody Harrelson

Entry filed under: Cinema.

No Dia Internacional da Mulher… O Menino do Pijama Listrado

18 Comentários Add your own

  • 1. Amanda Aouad  |  março 10, 2010 às 1:45 am

    Não vi esse ainda, mas tomei um susto, quando vi seu post, achei que você já estava falando do novo dela com Aaron Eckhart “O Amor Acontece”, hehe. Eta povo criativo esses tradutores de título do Brasil, heim?

    Responder
  • 2. Reinaldo Matheus Glioche  |  março 10, 2010 às 1:45 am

    Ainda não vi esse filme Ka, mas entendo o que vc quis dizer. É uma coisa que me acontece muito frequentemente. Especialmente em romances com “ares cult”. Um dos grandes prazeres da cinefilia.
    Bjs

    Responder
    • 3. Kamila  |  março 10, 2010 às 2:01 am

      Amanda, “O Amor Acontece” pretendo ver em breve. Os tradutores são tão criativos, né? rsrsrsrsrsrrs

      Reinaldo, com certeza. E eu adoro ser surpreendida positivamente! Beijos!

      Responder
  • 4. Cristiano Contreiras  |  março 10, 2010 às 6:33 am

    Ah, imaginei que, ao fim da sua opinião, eu veria um 7,0
    mas, até que você observou bons pontos no filme, preciso ver:
    confesso gostar da Aniston e do Steve Zahn…

    abraço

    Responder
  • […] filme O Amor pede Passagem (Management, 2009), feita por Kamila, a Cinéfila por Natureza; Acesse clicando aqui ** Critica do filme Direito de Amar (A Single Man, 2009), feita por Cecília Barroso, do Cenas de […]

    Responder
  • 6. mattheusrocha  |  março 10, 2010 às 11:00 am

    Eu gosto do Steve Zahn, mas a Jennifer Aniston não me convence. Divertida e só.

    Responder
    • 7. Kamila  |  março 10, 2010 às 12:55 pm

      Cristiano, eu até que já gostei mais da Aniston. Acho-a muito repetitiva como atriz. Abraço!

      Mattheus, como disse antes, já gostei mais da Jennifer. Acho que ela se repete demais e fica nesses filmes meia-boca.

      Responder
  • 8. Cassiano  |  março 10, 2010 às 2:17 pm

    Nada a ver mesmo esse casal, e olha q adoro o Zhan, mas ele se mete em cada furada!

    Responder
  • 9. João Paulo  |  março 10, 2010 às 6:42 pm

    Bem, se é um filme que te faz bem, mesmo não tendo elementos maravilhosos e por muitas vezes muitas coisas contra ele. Se ele te agradou … bem … já é um grande mérito dele …

    Beijos e felicidade.

    Responder
    • 10. Kamila  |  março 10, 2010 às 9:10 pm

      Cassiano, olha, o Zahn é a melhor coisa desse filme, DE LONGE!

      João Paulo, com certeza. Beijos!

      Responder
  • 11. airton  |  março 10, 2010 às 11:06 pm

    a jenifer aniston…que nao usou botox…parece estar boa nesse filme hsuahsuahsuash

    de uma passada no blog

    bjoo

    Responder
  • 12. Pedro Tavares  |  março 11, 2010 às 12:57 am

    Legal a idéia de fugir de elementos comuns do gênero. Ainda não vi, mas, pretendo.

    Responder
  • 13. Luis Galvão  |  março 11, 2010 às 1:11 am

    Eu também fiquei surpreso de como gostei desse filme, achei tão leve e descontraído (muitas vezes graças a presença da Aniston e do Zahn em sintonia), que acabou sendo um bom divevertimento.

    Responder
    • 14. Kamila  |  março 11, 2010 às 1:26 am

      Airton, o Zahn está bem melhor que ela. Beijo!

      Pedro T., espero que goste!

      Luís, exatamente. Uma agradável surpresa este longa!

      Responder
  • 15. Vinícius P.  |  março 11, 2010 às 3:19 pm

    Jennifer Aniston e Steve Zahn são astros carismáticos o suficiente para me fazer ver essa obra. Não é do meu tipo de fita favorita, mas parece ser válida para um sábado em casa, hehe. Abraço!

    Responder
    • 16. Kamila  |  março 11, 2010 às 7:45 pm

      Vinícius, exatamente! Os dois são muito carismáticos e o filme é perfeito para ser apreciado em uma tarde de sábado!

      Responder
  • 17. Mayara Bastos  |  março 11, 2010 às 10:16 pm

    Parece ser uma diversão descompromissada para um sábado á tarde. Vejo pelo Steve Zahn, que já li alguns bons comentários sobre a atuação dele neste filme.

    Beijos! 😉

    Responder
  • 18. Coincidências do Amor « Cinéfila por Natureza  |  setembro 27, 2010 às 11:49 pm

    […] que já se destacou, em 2010, em outras duas comédias românticas (“O Amor Acontece” e “O Amor Pede Passagem”), não é ela a protagonista da obra. Como já dissemos anteriormente, o eixo emocional do filme […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,023 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: