Os Fantasmas de Scrooge

novembro 20, 2009 at 11:01 pm 28 comentários

Todos os anos, no mês de dezembro, somos imbuídos do espírito do Natal. Isso significa que passamos a agir de uma forma mais aberta diante da vida, dando amor e carinho, ajudando aos outros, sendo solidários, compreensivos e amigos sem esperar que nada disso seja dado em troca para nós. O curioso é que tais atitudes deveriam ser prolongadas pelo ano inteiro, mas a maior parte das pessoas, infelizmente, se esquece do espírito natalino nos outros 364 dias do ano. 

O personagem principal de “Os Fantasmas de Scrooge”, do diretor e roteirista Robert Zemeckis, o qual é interpretado por Jim Carrey, é um senhor de idade altamente ranzinza e que o ano inteiro trata as pessoas exatamente da mesma forma mal educada e grosseira. Ele não consegue manter cinco minutos de conversa com alguém, é alheio aos problemas que os outros passam e nem deixa que as pessoas de sua própria família se aproximem dele. Parece até que ele gosta de sua solidão e adora que as pessoas o deixem em paz – não porque elas queiram, diga-se de passagem, mas porque elas são obrigadas a isso. 

A grande mensagem que “Os Fantasmas de Scrooge” nos passa é a de que nunca é tarde para a gente fazer mudanças positivas em nossa vida. O Sr. Scrooge viveu muito bem assim até uma determinada véspera de Natal, em que ele começa a receber a visita de três fantasmas que fazem com que ele enxergue a realidade que o rodeia, especialmente os problemas pelos quais passam seu leal funcionário, Bob Cratchit (Gary Oldman), e a maneira pela qual ele é visto pelo próprio sobrinho. Ao conhecer estas outras perspectivas e ver um mundo que ele recusava a enxergar, Scrooge percebe que tem uma segunda chance para consertar as coisas e ser uma pessoa melhor. 

Baseado em uma das obras mais clássicas (e adaptadas) do aclamado escritor Charles Dickens, “Os Fantasmas de Scrooge” é mais um passo que Robert Zemeckis dá na sua nova direção de fazer cinema e a constatação que a gente pode fazer é a de que, a cada nova obra, o diretor e roteirista aperfeiçoa seu método de captura de performance. Especialmente na construção de Scrooge, temos um desenho perfeito de um ser expressivo e cujas emoções nos são totalmente palpáveis. Alguns acertos ainda precisam ser feitos, mas Zemeckis está totalmente no caminho certo. Esta é sua melhor obra em muito tempo e é um tributo à força do material escrito por Dickens. 

Cotação: 8,5 

Os Fantasmas de Scrooge (A Christmas Carol, 2009)
Diretor: Robert Zemeckis
Roteirista: Robert Zemeckis (com base no livro de Charles Dickens)
Elenco: Jim Carrey, Gary Oldman, Colin Firth, Robin Wright Penn, Cary Elwes, Bob Hoskins, Fionnula Flanagan

Entry filed under: Cinema.

Código de Conduta Cena da Semana

28 Comentários Add your own

  • 1. Bruno Soares  |  novembro 20, 2009 às 11:09 pm

    desisti do zemeckis depois daquele beonãoseioquê, agora só quando ele voltar ao live action. vc viu em 3d kamila?

    bjs!

    Responder
    • 2. Kamila  |  novembro 20, 2009 às 11:34 pm

      Bruno S., vi em 3D, sim! Adorei! Minha primeira experiência do tipo! Beijos!

      Responder
  • 3. Cleber Eldridge  |  novembro 20, 2009 às 11:46 pm

    Não tem nada a ver, mais estou anscioso por sua analise de ‘Lua Nova’ detesto!

    Responder
    • 4. Kamila  |  novembro 21, 2009 às 12:42 am

      Cleber, eu vou assistir a este filme no domingo!

      Responder
  • 5. Wally  |  novembro 21, 2009 às 12:58 am

    Quero bastante vê-lo. Mas o 3D é tão caro… Sua crítica me motivou bastante.

    Responder
  • 6. Reinaldo Matheus Glioche  |  novembro 21, 2009 às 1:25 am

    Quero ver o filme tb. Gosto do trabalho do Zemeckis com o performance Capture. Só discordo dele num ponto. O futuro do cinema não tá aí. A tecnologia deve e vai ser integrada a forma de produção cinematográfica( como já está sendo), mas não redefini-la como o diretor acredita. Contrariando as expectativas do Bruno, Robert Zemeckis não volta ao live action tão cedo…
    Mas ele tá fazendo um bom trabalho, vamos combinar. Vou ver esse por esses dias. Gostei de Beowulf.E expresso polar, bem esse não conta pq era a cobaia né(rsrs)

    Bjs Ka!

    Responder
  • 7. Matheus  |  novembro 21, 2009 às 2:15 am

    Esse é um filme que desperta a minha curiosidade…

    Responder
    • 8. Kamila  |  novembro 21, 2009 às 7:54 pm

      Wally, aqui em Natal, filme em 3D é no mesmo preço das sessões normais.

      Reinaldo, eu também acho que o futuro do cinema não está nesta técnica dele. Eu não gostei de “Beowulf”, mas adorei esse filme. Beijos!

      Matheus, espero que assista e goste!

      Responder
  • 9. cineamador  |  novembro 21, 2009 às 2:51 am

    Engraçado como só de ver a foto uma vez rapidamente, logo me veio a mente o nome Jim Carey! Uma maquiagem que continua me remetendo aos “O Grinch” e “Desventuras em Serie”.

    Responder
  • 10. Otavio Almeida  |  novembro 21, 2009 às 1:33 pm

    Estava com um pé atrás, Kamila! Mas acho que vou ver hoje pra deixar o público de LUA NOVA esvaziar um pouco. Quero ver SCROOGE e LUA NOVA. Mas vou primeiro de Jim Carrey, que deve estar mais vazio.

    Bjs! Bom final de semana!

    Responder
    • 11. Kamila  |  novembro 21, 2009 às 7:55 pm

      cineamador, mas a intenção é essa. Deixar os personagens com visuais próximos aos dos seus intérpretes. O Gary Oldman também está bem perceptível no homem que interpreta.

      Otavio, não fique com o pé atrás. Assista a este filme sem medo. Beijos e bom final de semana!

      Responder
  • 12. Samantha  |  novembro 22, 2009 às 12:12 am

    Esteticamente e tecnicamente, o filme é quase perfeito, mas acho a história muito desgastada. Não funcionou comigo. 😦

    Não sabia que você era de Natal. Também sou (Robson, do Portal Cine, é meu amigo). 🙂 Assisti ao filme em 3D lá no Cinemark, mas, na quarta, o ingresso custou R$7,50. Você pagou o mesmo preço das sessões normais?

    Responder
  • 13. Wally  |  novembro 22, 2009 às 4:02 am

    Nossa, que baque! Para mim, claro. As sessões em 3D daqui são R$22 a inteira, enquanto as sessões normais são R$17.

    Responder
  • 14. Rafael Moreira  |  novembro 22, 2009 às 5:04 am

    Quero muito assistir esse filme numa sala 3D. Só q aqui em fortaleza é, tipo, muuuuito longe e dá muita preguiça mesmo. O jeito é assistir num multiplex convencional, mas talvez a experiência não seja muito gratificantes. Bjs!

    Responder
    • 15. Kamila  |  novembro 22, 2009 às 3:31 pm

      Samantha, essa história nunca fica desgastada, pelo menos para mim. 🙂 Sou de Natal, sim! Que legal que você é daqui também. Olha, eu acho que paguei o mesmo dos dias normais… ACHO! rsrsrsrsrsrrsrsrs

      Wally, estou começando a duvidar se paguei o mesmo para assistir ao filme em 3D. rsrsrsrs

      Rafael M., depois de ter visto em 3D, acho que a experiência de ver o filme de forma convencional, seria, sim, diferente. Beijos!

      Responder
  • 16. Robson Saldanha  |  novembro 22, 2009 às 6:15 pm

    Adoro temas de Natal, quando bem feitos… Jim sabe fazer boas coisas, quando quer… quero conferir!

    Responder
    • 17. Kamila  |  novembro 22, 2009 às 8:40 pm

      Robson, concordo. Jim Carrey sabe fazer coisas boas quando quer. E esse filme é muito bom!

      Responder
  • 18. Priscilla  |  novembro 24, 2009 às 5:29 pm

    Estou doida pra ver. todos deveriam levar seus filhos, pois se trata de uma história muito importante, tanto pelo valor moral quanto histórico. Não custa nada colocar um pouquinho de cultura na cabeça desses anjinhos do videogame!rsrs

    bjsss

    Responder
    • 19. Kamila  |  novembro 24, 2009 às 10:14 pm

      Priscilla, exatamente! Beijos!

      Responder
  • 20. Mayara Bastos  |  novembro 24, 2009 às 10:26 pm

    Parece um show digital. E que ano para as animações, hein? Estou com grandes expectativas com este, mas infelizmente, aqui próximo de casa está só em IMAX e está o dobro do preço. Parece ser uma bela experiência.

    Beijos! 😉

    Responder
  • 21. Dewonny  |  novembro 25, 2009 às 5:11 pm

    Ainda ñ vi, mas tenho grande interesse.

    Responder
    • 22. Kamila  |  novembro 25, 2009 às 10:22 pm

      Mayara, realmente, tem sido um ano excelente para as animações. Beijos!

      Diego, assista mesmo!

      Responder
  • 23. Planeta 51 « Cinéfila por Natureza  |  dezembro 26, 2009 às 10:33 pm

    […] no gênero de animação, como “Up – Altas Aventuras”, “Tá Chovendo Hambúrguer!”, “Os Fantasmas de Scrooge” e “A Princesa e o Sapo”, “Planeta 51” é aquele tipo de filme que não consegue se […]

    Responder
  • 24. WILLIS DE FARIA (Cinefilomaniacos)  |  abril 16, 2010 às 1:46 am

    Zemeckis ilumina a tela com belos efeitos, nesta história incrível que já ouvimos falar um milhão de vezes antes. O material de origem surpreendente e toque brilhante Zemeckis sobre ele. O único problema é que saber a história tem suas limitações. Limitou-me de ser capaz de sentir o perigo do caráter de Tio Patinhas. O livro e a história têm sido em torno de idades. Dito isto, o filme é bonito e o uso por Zemeckis de efeitos 3D e de captura dos movimentos é bastante brilhante. Ebenezer Scrooge (interpretado por Jim Carey) absolutamente despreza Natal e só deseja a negatividade das pessoas que querem comemorar o feriado. Como podemos ver, ele é muito sovina com seu dinheiro e bens. Sendo o rabugento que ele é, ele vai para casa na véspera de Natal por si mesmo e então é visitado por três fantasmas durante toda a noite, cada um como os sinos tocam. Felizmente, todos os fantasmas foram expressos por Jim Carey, para que ele é, essencialmente, sendo visitado por diferentes versões temperado de si mesmo Ele recebe o Espírito do Natal Passado para mostrar-lhe como feliz da vida foi o seu passado. Isso é seguido pelo Espírito do Presente de Natal para mostrar a ele os problemas que ele causa… Finalmente, ele é visitado pelo fantasma do Natal ainda está para vir a mostrar-lhe como suas ações terão impacto na vida dos outros e seus próprios. Tudo isso é filme, é uma pessoa diferente sobre a história com visuais incríveis e efeitos 3D. Os efeitos de primeiro plano que Zemeckis utiliza foram fenomenais, especialmente quando Ebenezer está andando pela neve no começo. Você sente como você está começando nevou, porque o 3D completamente engolfa sua visão. Este filme não é para crianças pequenas, pois contém tantos temas sombrios e há algumas imagens muito ruins. A morte era um tema importante em todo livro de Dickens e Zemeckis unidades que realmente em casa. Vemos algumas horríveis imagens, e francamente, muitos pais não gostariam que seus filhos vissem estas imagens. A atenção aos detalhes em seus rostos e movimentos é tão humanista que o personagem de Gary Oldman digital parecia exatamente como ele na vida real. O que estamos vendo é o movimento real do ator em formato digital e é de tirar o fôlego. Nota: 9,0

    Responder
  • 25. Nayara  |  julho 12, 2010 às 2:28 am

    Quero assistir faz um bom tempo que não vejo filmes inspirados nesse conto.

    Responder
    • 26. Kamila  |  julho 13, 2010 às 2:02 am

      Nayara, se assistir, volte depois para contar o que achou.

      Responder
  • 27. Nayara  |  julho 16, 2010 às 10:22 pm

    Ainda não assisti, mas soube que esse filme inspirou o Brasil a fazer um filme totalmente em 3D tomara que o Brasil faça uma boa animação.

    Responder
    • 28. Kamila  |  julho 16, 2010 às 11:40 pm

      Nayara, tomara!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,023 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: