Lendo – Amanhecer*

novembro 10, 2009 at 11:06 pm 16 comentários

*Atenção para os spoilers.

“Esse era mais ou menos o padrão de minha vida – eu nunca fora forte o suficiente para lidar com as coisas que estavam fora de meu controle, atacar os inimigos ou superá-los. Evitar a dor. Sempre humana e fraca, a única coisa de que eu era capaz era continuar. Suportar. Sobreviver”. (p. 289)

A frase destacada no início desse post é quase que um testamento a tudo aquilo que a jovem Isabella Swan viveu no decorrer dos quatro livros da saga “Twilight”, a qual foi escrita por Stephenie Meyer. Na quarta – e última – obra da série, “Amanhecer” a adolescente vai se deparar, finalmente, com o momento crucial de sua vida – pelo menos, aquele que ela mais ansiava viver desde que conheceu e se apaixonou por Edward Cullen: aquele instante em que ela vai deixar de ser mortal e vai abraçar a vida como vampira de forma a poder ser a companheira eterna de seu amado. 

Porém, antes de Bella vivenciar isso, como leitores da saga, chegamos a uma importante constatação. A série “Twilight” era para falar estritamente sobre uma história de amor altamente impossível de acontecer, mas que encontra os seus caminhos para florescer. No entanto, ao nos dedicarmos à leitura completa dos livros da saga, chegamos à conclusão de que as obras da série “Twilight” seguem a jornada de Bella rumo ao amadurecimento da decisão sobre a qual falamos no início do nosso texto – e isso inclui também o desenvolvimento de toda a história referente à Jacob Black, que se torna um personagem tão importante neste universo a ponto de chegar, em certos momentos, a ofuscar totalmente Edward Cullen, contudo, e é importante dizer isso, sem nunca terminar com o encanto que o vampiro exerce sobre nós. 

Como Bella e Jacob são personagens tão importantes para a saga “Twilight”, não chega a ser impressionante perceber que, em “Amanhecer”, a escritora Stephenie Meyer decidiu adotar um recurso linguístico bem interessante – e que já foi usado por grandes escritores como Ian McEwan, Virginia Woolf e Michael Cunningham: a alternância de vozes narrativas no texto. “Amanhecer” é quase que dois livros: um que carrega toda a perspectiva de Bella Swan e um segundo que nos mostra o ponto de vista de Jacob Black. Em comum entre esses dois pontos, o fato de que ambos os personagens oferecem suas opiniões acerca do que está por vir.

Mesmo com a presença deste detalhe interessante, “Amanhecer” peca muito, especialmente ao chegar no meio de sua história, por dedicar tempo demais a uma trama que chega a parecer totalmente estapafúrdia –  e sei que vai parecer estranho quando eu disser que tal acontecimento era até esperado, uma vez que não imaginava Bella abdicando de sua vida humana antes de vivenciar plenamente todas as experiências de uma mulher. Além disso, é impossível enxergar beleza na maneira como Stephenie Meyer decidiu terminar o triângulo amoroso de Edward-Bella-Jacob – o imprinting do jovem lobisomem, ainda mais com quem foi, soa até doentio e estranho, mas essa é apenas a minha opinião. 

“Amanhecer” só decola mesmo no seu segmento final, quando vemos muita ação acontecendo, personagens novos sendo introduzidos, e a exploração de uma sub-trama que coloca Bella Swan como a grande heroína que ela é, afinal a jovem, desde que a conhecemos pela primeira vez, em “Crepúsculo”, já deu provas suficientes de que está totalmente disposta a defender aqueles a quem ama profundamente. São nestes instantes em que Stephenie Meyer nos lembra o por quê de ela ser a autora de um dos maiores sucessos recentes da literatura mundial. 

Um detalhe que é importante mencionar é que, mesmo com estas falhas narrativas que notamos, “Amanhecer” é um livro bem interessante do ponto de vista das imagens que ele suscita em nossa mente. O que nos leva a crer que o diretor da última adaptação cinematográfica da série vai ter um bom material a explorar. Até porque “Amanhecer” entrega para os leitores o final feliz que eles tanto queriam ver (alguém duvidava que isso iria acontecer?) e ainda deixa margens para possíveis novas histórias a serem exploradas futuramente pela autora Stephenie Meyer e, consequentemente, Summit Entertainment.

Amanhecer (2009)
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca

Entry filed under: Livros.

Os Falsários Divulgado o Trailer de “Date Night”

16 Comentários Add your own

  • 2. Bruno Gonçalves  |  novembro 10, 2009 às 11:58 pm

    Conseguiu terminar de ler?!?!?
    O que achou?!?!
    Não conheço nenhuma pessoa que não tenha gostado, mas não li por não fazer mu genero de leitura!
    Reconheço que deve ser um bom livro!

    Responder
  • 3. Thyago  |  novembro 11, 2009 às 2:54 am

    ainda nao li nenhum livro da série
    o filme não foi um bom incentivador.

    enfim, no aguardo de começarem a fazer histórias sobre múmias, que devem ser a próxima moda 😛

    Responder
  • 4. luis galvão  |  novembro 11, 2009 às 11:39 am

    é, não é o meu tipo de leitura favorita, me aventurei no primeiro e não gostei muito, mas que bom que o livro não é assim tão vazio quanto eu imaginava, tem toda uma reflexão por trás. Basta saber se o público alvo, que acredito eu seja adolescentes, vão ter essa mesma visão que, por exemplo, eu teria se tivesse lido.

    Responder
    • 5. Kamila  |  novembro 11, 2009 às 10:07 pm

      Bruno G., terminei de ler a saga inteira e adorei! Acho que a maioria das pessoas têm preconceitos em relação à essa série, mas ela é excelente. Bem escrita e envolve a gente.

      Thyago, mas múmias sempre estiveram na moda! rsrsrsrs

      Luís, acredito que os adolescentes gostam dessa saga, tendo em vista o frisson que ela causa.

      Responder
  • 6. Alexandre  |  novembro 11, 2009 às 4:01 pm

    Prefiro não manifestar NENHUMA opinião quanto aos livros por não os ter lidos , mas os filmes não foram um bom incentivo. Talvez eu não seja o público do livro… enfim

    Responder
  • 7. Mayara Bastos  |  novembro 11, 2009 às 5:38 pm

    Começei “Eclipse” e está indo muito bem. Minha prima disse que este “Amanhecer” não é muito bom, mas, claro que irei fazer a leitura deste. rsrsrs. Não esperava muita coisa dos livros e acabei me surpreendendo, rsrs.

    Beijos! 😉

    Responder
    • 8. Kamila  |  novembro 11, 2009 às 10:07 pm

      Alexandre, eu compreendo sua opinião.

      Mayara, eu achei “Amanhecer” o mais fraco dos quatro livros. Beijos!

      Responder
  • 9. Reinaldo Matheus Glioche  |  novembro 12, 2009 às 1:41 am

    Embora esteja familiarizado com o universo Crepúsculo e com os eventos dos 4 livros, não os li. Minha experiência em relação a este universo é cinética e de leituras paralelas, como o seu artigo. De qualquer maneira, aprecio a sua opinião. Mesmo sobre um livro que eu, francamente, não tenho a menor vontade de ler.
    Bjs Ka!

    Responder
  • 10. Luís  |  novembro 13, 2009 às 1:57 am

    Li todos os livros da série, que, infelizmente, é bastante irregular.
    O primeiro livro é interessante, embora seu romance seja bem meloso. A partir do segundo, a coisa desanda e só volta ao normal, pelo menos quanto ao entretenimento, no quarto volume.
    Amanhecer é legalzinho – no diminutivo mesmo!

    Responder
    • 11. Kamila  |  novembro 14, 2009 às 1:52 pm

      Reinaldo, obrigada! Beijos!

      Luís, eu acho que a coisa só desandou mesmo neste quarto livro. A história da Bella, às vezes, ficou patética.

      Responder
  • 12. Paloma  |  novembro 20, 2009 às 3:34 pm

    Amei esse livro … pra mim é desfecho perfeito…..parece meio cliché mais eu simplesmente amei…não teria como terminar melhor.

    beijos

    Responder
    • 13. Kamila  |  novembro 20, 2009 às 10:51 pm

      Paloma, como eu disse, o livro termina da forma como tinha que ser!

      Responder
  • 14. Bruna.Cullen  |  dezembro 15, 2009 às 8:44 pm

    Oie meu nome e bruna ii eu tenho todos os livros fico por dentro d tudo sobre crepúsculo.. hehe eu sou crepúsculiana d sangue.. hehe eu amo o robert .. o livro q eu + ameii! q fez parte d mim foi amanhecer ii eclipse.. o melhores .. lua nova gostei só do filme .. pq? pq o robert quase ñ aparece.. então ñ tem graça né?
    !
    gtbm acho

    ii eu acho q elipse vaii ser massa! .. hehe!

    caprichen no filme! heim!

    I love crepúsculo!

    Responder
    • 15. Kamila  |  dezembro 15, 2009 às 10:16 pm

      Bruna, “Lua Nova” tem muita graça, sim!

      Responder
  • […] livro da saga “Crepúsculo”, a adaptação de “Amanhecer” segue a linha vista recentemente em “Harry Potter e as Relíquias da Morte”, com a história […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,381 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: