Desejo e Perigo

novembro 5, 2009 at 11:32 pm 19 comentários

“Desejo e Perigo”. Já está bem definido no título do filme dirigido por Ang Lee quais são os temas principais desta obra, a qual foi baseada no conto de Eileen Chang e foi adaptada por James Schamus e Hui-Ling Wang. O longa se passa durante a Segunda Guerra Mundial, em Xangai, cidade chinesa, quando um grupo de estudantes universitários que fazem resistência à guerra e, especialmente, àqueles que colaboram com os inimigos japoneses, recrutam uma inocente jovem chamada Wong Chia Chi (Wei Tang) para fazer com que ela se passe por uma distinta senhora e se aproxime do Sr. Yee (Tony Leung Chiu Wai), um dos maiores colaboradores dos japoneses no conflito. 

A história de “Desejo e Perigo” se passa em duas linhas de tempo distintas. Na primeira, que acontece em 1938, encontramos o grupo de estudantes universitários, os quais são muito interessados em artes dramáticas. Ao montarem um espetáculo de tom patriótico, eles decidem criar um ato ainda maior: uma trama em que cada um deles tem um papel bem definido e que possui o objetivo de alcançar aquilo que descrevemos no primeiro parágrafo de nosso texto. 

Na segunda, que ocorre em 1942, encontramos uma segunda tentativa do grupo de conseguir a morte do Sr. Yee – o qual, agora, é uma figura muito mais importante nas relações entre os chineses e os japoneses. Aqui, o roteiro de Shamus e Wang fica ainda mais interessante, pois, com a proximidade que é estabelecida entre Yee e Wong Chia Chi (que adota a alcunha de Mak Tai Tai para o figurão) e, na medida em que as relações entre eles ficam mais passionais e dependente do magnetismo que um exerce sobre o outro, as chances da identidade verdadeira dela ser descoberta se tornam ainda maiores. 

Ao assistirmos “Desejo e Perigo”, é inevitável não pensar em “A Espiã”, do diretor Paul Verhoeven, um outro thriller de espionagem passado na Segunda Guerra Mundial. As duas obras se apoiam em personagens femininas que ficam em uma situação extremamente delicada justamente por não conseguirem manter certa distância emocional daqueles que deveriam ajudar a entregar à resistência. Além disso, tem todo o aspecto da sensualidade e da paixão que estes relacionamentos suscitam. Assim como Verhoeven fez, em sua obra, Ang Lee filma tudo aqui (com o apoio da fotografia brilhante de Rodrigo Prieto) com muita classe. O conflito que estas mulheres vivem, a maneira como elas acabam expondo aqueles que deveriam ser suas vítimas, mostram que todos os planos (mesmo aquele minuciosamente feitos) estão totalmente sujeitos às circunstâncias nas quais eles irão tomar espaço – e, nesse sentido, vale também destacar a atuação da dupla Tony Leung e, especialmente, Wei Tang.

Cotação: 8,8

Desejo e Perigo (Se, jie, 2007)
Diretor: Ang Lee
Roteiro: James Schamus e Hui-Ling Wang (com base no conto de Eileen Chang)
Elenco: Tony Leung Chi Wai, Wei Tang, Joan Chen, Lee-Hom Wang, Chung Hua Tou 

Entry filed under: Cinema.

A Expectativa para o Oscar 2010 – Parte 2 A Onda

19 Comentários Add your own

  • 1. Bruno Gonçalves  |  novembro 6, 2009 às 12:02 am

    Ah, tenho que conferir! Adoro filmes orientais e filmes que se passam na 2ª Guerra! Valeu a Dica!
    E porque 8,8? Não podia ser 8,5 ou 9,0? rsrsrs

    Responder
  • 2. João Paulo Rodrigues  |  novembro 6, 2009 às 12:07 am

    Enquanto estava passeando após a sessão de Jogos Mortais 6 para comprar uns dvd, vi esse filme mofando a tempos, desde do ano passado que está em dvd a venda. Mas nunca me interessou em comprar …

    Talvez eu veja baixado quando chegar em casa …
    Abraços

    Responder
  • 3. Luis Galvão  |  novembro 6, 2009 às 12:34 pm

    Eu adoro ‘A Espiã’, e se esse filme seguir a linha dele eu também adorarei. Ainda mais tendo por trás Ang, que já fez coisas maravilhosas no cinema.

    Responder
    • 4. Kamila  |  novembro 8, 2009 às 12:29 am

      Bruno Gonçalves, meus critérios de nota são confusos, só eu entendo mesmo! rsrsrrsrs

      João Paulo, não baixe pra ver. Compre esse filme! Abraços!

      Luís, eu achei esse filme melhor que “A Espiã”. O Ang Lee consegue ser mais sofisticado que Paul Verhoeven.

      Responder
  • 5. Reinaldo Matheus Glioche  |  novembro 6, 2009 às 1:14 pm

    Amo Ang Lee. Para mim um dos mais sensíveis e eloquentes cineastas da atualidade. E seu trabalho aqui é mais um testamento disso. Kamila, adorei seu insight sobre as circunstâncias de uma mulher ( agente) em um conflito como esses e com o paralelo ( que por mais inevitável que seja eu não tinha feito) com a Espiã. Bem obeservado.
    Acrescento ainda uma obsessão recente na filmografia de Lee. O interesse pela angústia causada do anor deslocado que se contrapõe a convenções e determinimos. Sejam sociais ( como em Brokeback mountain) ou bélicos e politícos ( como em Desejo e perigo). Não a toa ele ganhou um leão de ouro para cada filme.
    Beijos

    Responder
  • 6. Otavio Almeida  |  novembro 6, 2009 às 2:07 pm

    Ainda não vi o filme. Mas belo texto! Vou ver se alugo o DVD. Semana passada eu vi “Aconteceu em Woodstock” na Mostra de SP. É bom, mas ficou abaixo das minhas expectativas…

    Ah, eu já sei que você quer ver MUITO “An Education”. Vi ontem. Escreverei sobre o filme nos próximos dias. Mas adianto que é maravilhoso! Filmaço! E a Carey Mulligan é uma graça e uma surpreendente ótima atriz. Engraçado que tem umas cenas em Paris e a Carey ficou com uma carinha de “jovem Audrey Hepburn” em algumas cenas… Sei lá, fiquei com essa impressão. Talvez por ela ser magra e estar bem vestida (e com o cabelo preso nessas cenas. Digo isso pq andam pensando em Keira Knightley para “My Fair Lady” (HERESIA), não? Enfim, não perca “An Education” quando estrear!

    E Ok! Vou escrever sobre os apresentadores do Oscar…

    Bjs, e bom final de semana!

    Responder
  • 7. Weiner  |  novembro 6, 2009 às 4:01 pm

    Oi, Kamila!
    Qualquer projeto do Ang Lee já vem imbutido de muita curiosidade, já que seus trabalhos são na maioria das vezes, acima da média. Este “Se, jie” ficou no meu imaginário durante todo o ano passado, mas acabei esquecendo dele, acredita? Vou tentar alugá-lo já que seus apontamentos me deixaram muito curioso quanto ao resultado.
    Beijos!

    Responder
    • 8. Kamila  |  novembro 8, 2009 às 12:31 am

      Reinaldo, obrigada! Concordo contigo sobre o Ang Lee e seu cinema. Adorei a observação final que você fez sobre a maneira como ele vê o amor. Beijos!

      Otavio, obrigada! Que inveja tua de ter assistido “An Education”. Eu tenho acompanhado os paralelos que andam sendo feitos entre a Carey e a Audrey e gosto deles, acho as duas bem parecidas e graciosas. Beijos! Bom final de semana e aguardo seu texto sobre os apresentadores do Oscar!

      Weiner, espero que assistas logo ao filme e que goste dele. Beijos!

      Responder
  • 9. Sam  |  novembro 6, 2009 às 5:11 pm

    Tem um argumento bastante interessante e o casal de protagonistas bem trabalhado. Muito acima da média.

    Só é pena que Ang Lee insista no virtuosismo visual de algumas cenas…

    Cumps. cinéfilos.

    Responder
  • 10. Ramon  |  novembro 6, 2009 às 5:49 pm

    Poxa… Ang Lee, A Espiã, ótima fotografia… vou conferir a obra. Gostei da premissa.

    Bom final de semana!

    Responder
  • 11. Bruno Soares  |  novembro 6, 2009 às 6:24 pm

    Eu também adorei esse filme – um dos meus 5 prediletos desse ano até agora, inclusive. E nem pensei em A ESPIÃ, que acho bem bom mas não no nível do filme do Ang Lee.

    Bjs!

    Responder
    • 12. Kamila  |  novembro 8, 2009 às 12:39 am

      Sam, mas insistir no virtuosismo visual é algo bom do cinema dele, não??

      Ramon, assista mesmo. Bom final de semana!

      Bruno Soares, eu acho o filme do Ang Lee melhor! Beijos!

      Responder
  • 13. Alyson  |  novembro 6, 2009 às 6:49 pm

    Também vou conferir, principalmente pela semelhança que você falou existir com “A Espiã”, ainda mais sendo um filme do Ang Lee.

    Beijos, Ka.

    Responder
  • 14. Vinícius P.  |  novembro 7, 2009 às 4:58 am

    O Ang Lee é um dos meus diretores favoritos (recentemente vi “Banquete de Casamento”, um dos seus primeiros trabalhos, e adorei), mas ainda não tive oportunidade de ver esse “Desejo e Perigo”, quem sabe em breve…

    Responder
  • 15. airton  |  novembro 7, 2009 às 1:47 pm

    oii
    ainda nao vi esse
    eu nao curto mto filmes orientais
    mas vlw pela dica
    bom texto

    http://publicandobr.blogspot.com/2009/11/arte-de-fazer-estorias.html

    voltei com o blog

    Responder
    • 16. Kamila  |  novembro 8, 2009 às 12:40 am

      Alyson, espero que goste do filme! Beijos!

      Vinícius, se você gosta do Ang, então, vai amar esse filme!

      Airton, deveria assistir a mais filmes orientais, viu??? Obrigada!

      Responder
  • 17. Mayara Bastos  |  novembro 8, 2009 às 3:33 am

    Parece ousado e ótimo. Ainda bem que virá em DVD nestes, já que é outro filme que tive problemas em relação a censura…

    Beijos! 😉

    Responder
  • 18. Mayara Bastos  |  novembro 8, 2009 às 3:33 am

    *neste mês

    Responder
    • 19. Kamila  |  novembro 8, 2009 às 12:04 pm

      Mayara, é um filme ousado, mas não tanto assim. Não sabia que “Desejo e Perigo” iria ser lançado neste mês em DVD. Muito bom! Beijos!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,214 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: