O Equilibrista

outubro 15, 2009 at 10:01 pm 19 comentários

Se existe uma frase que pode definir o que o acrobata francês Philippe Petit fez, durante toda a sua trajetória, é a seguinte, de autoria de Arthur C. Clarke: “O único meio de definir os limites do possível é tentar ultrapassá-los a caminho do impossível”. Contra todas as probabilidades e lutando contra todos os obstáculos, Petit fez carreira como um equilibrista, desafiando alguns dos cenários mais lindos do mundo, como a Catedral de Notre Dame (Paris) e a Sydney Harbour Bridge (em Sydney, Austrália). 

Porém, o maior desafio de sua carreira, a realização de seu maior sonho foi a travessia entre as duas torres do World Trade Center, em Nova York, no dia 07 de Agosto de 1974, quando ele tinha somente 24 anos. Considerado pela revista Time como o maior crime artístico do século, é justamente este acontecimento que é o objeto de estudo do documentário “O Equilibrista”, do diretor James Marsh, obra vencedora do Oscar da categoria no ano de 2009. 

O diretor James Marsh entrevista todos os personagens que participaram dos mais de seis meses de planejamento da travessia do World Trade Center – além do próprio Philippe Petit, temos a equipe dele (formada por Jean-François, Jean-Louis, David, Alan, Barry e Jim) e a namorada do acrobata na época, Annie. Todos eles bancaram o sonho de Philippe, que ficou fascinado pela estrutura das Torres Gêmeas quando viu a notícia da construção delas em uma matéria de jornal, enquanto esperava para ser atendido pelo seu dentista. 

Além disso, o documentário enfoca também as consequências judiciais desse ato transgressor e ilegal – afinal, para conseguir atravessar o World Trade Center, Petit e equipe tiveram que burlar a segurança do prédio, invadir uma propriedade pública e montar sua estrutura na calada da madrugada. Nesse momento, “O Equilibrista” ganha ares até emocionantes, porque é muito difícil passar por uma experiência dessas, que deu notoriedade mundial para Philippe Petit, sem sofrer transformações – algumas delas, mudanças para a vida toda. 

Só por estas poucas linhas já dá para perceber o quanto “O Equilibrista” trata de um assunto interessante. Philippe Petit é um personagem e tanto. Seus amigos são figuras raras. Annie fala com um entusiasmo visível sobre o tempo vivido ao lado do acrobata. A jornada vivida por todos eles é mesmo cinematográfica – tanto que vários dos momentos do planejamento da ação no World Trade Center foram reencenados, para o documentário, por uma equipe de atores. No final, a obra acaba sendo um belíssimo retrato de como é importante se persistir no sonho e que o trabalho duro e árduo dá seu resultado!

Cotação: 8,0

O Equilibrista (Man on Wire, 2008)
Diretor: James Marsh
Roteiro: Philippe Petit (tendo como base seu próprio livro)
Com os depoimentos de: Philippe Petit, Jean François Heckel, Jean-Louis Blondeau, Annie Allix, David Forman, Alan Welner, Barry Greenhouse, Jim Moore

Entry filed under: Cinema.

Salve Geral! Oh, Nicholas Sparks….

19 Comentários Add your own

  • 1. Bruno Gonçalves  |  outubro 15, 2009 às 10:36 pm

    Nossa, essa semana eu pensei em bixar esse filme, mas nao tive tempo!
    Esse filme, como diz o Sr. Burns, deve ser “Excelente”

    Responder
  • 2. Yuri  |  outubro 15, 2009 às 11:03 pm

    Vi o making of na televisão e me deu mais vontade de assistir, agora com sua crítica a vontade aumentou, vou procurar pra ver 😉

    Responder
    • 3. Kamila  |  outubro 15, 2009 às 11:36 pm

      Bruno, é ótimo mesmo!

      Yuri, procure mesmo!

      Responder
  • 4. brunosoaresjonny  |  outubro 15, 2009 às 11:35 pm

    Ainda não tive a chance de ver esse doc, Kamila. Mas estou curioso demais.

    Bjs!

    Responder
    • 5. Kamila  |  outubro 15, 2009 às 11:41 pm

      Bruno Soares, eu também tinha curiosidade de ver esse filme e adorei! Beijos!

      Responder
  • 6. Alex Gonçalves  |  outubro 16, 2009 às 12:35 am

    Kamila, gostei de “O Equilibrista” tanto quanto você. De fato, Philippe Petit tem uma vida que merecia aparecer no cinema. Mas como comentei com você no Twitter, fiquei um pouco incomodado pelo material tão escasso que ele e sua equipe tiveram do grande feito de atravessar as Torres Gêmeas. Fez perder um pouco do encanto, mesmo com o entusiasmo dos depoimentos.

    Responder
    • 7. Kamila  |  outubro 16, 2009 às 12:37 am

      Alex, mas é compreensível a falta de material, uma vez que foi tudo feito às pressas.

      Responder
  • 8. Vinícius P.  |  outubro 16, 2009 às 3:08 am

    Não esperava tanto desse filme e ele me surpreendeu totalmente. Nem sei se é porque adoro documentários, mas achei toda a história muito emocionante – uma verdadeira lição de que devemos perseguir nossos sonhos.

    Responder
  • 9. Alexandre  |  outubro 16, 2009 às 5:35 am

    To com ele aqui … mais ainda não vi.

    Mas sei que deveria … pq o dia não tem 160 horas hein ? rs

    Responder
  • 10. Dri Viaro  |  outubro 16, 2009 às 2:20 pm

    Olá, vim conhecer seu blog, e desejar bom fim de semana.
    bjs

    aguardo sua visita 🙂

    Responder
    • 11. Kamila  |  outubro 17, 2009 às 1:57 pm

      Vinícius, concordo. A história também me surpreendeu justamente por este detalhe que você ressaltou.

      Alexandre, assista-o!!! 🙂

      Dri, obrigada pela visita e pelo comentário! Beijos!

      Responder
  • 12. Otavio Almeida  |  outubro 16, 2009 às 3:59 pm

    Fantástico! Super emocionante!

    Bom final de semana, Kamila!

    Bjs!

    Responder
  • 13. Louis Vidovix  |  outubro 17, 2009 às 12:38 am

    Apesar do equilibrista ser meio lelé da cuca, é um cara apaixonado pelo que faz. Isso por si só já torna o documentário significativo e emocionante. E o apelo as Torres Gemeas, incluindo as imagens de arquivo de sua construção, dá uma dimensão ainda mais importante. Beijo!!

    Responder
    • 14. Kamila  |  outubro 17, 2009 às 1:57 pm

      Otavio, concordo! Beijos e bom final de semana!

      Louis, é verdade. Ele faz o que gosta e isso é notado de cara. E o apelo às Torres Gêmeas é sensacional. Beijos!

      Responder
  • 15. Ygor Moretti  |  outubro 17, 2009 às 6:35 pm

    Confesso que já o segurei na mão , mas acabei por não leva-lo da locadora, gosto de documentarios ainda mais com temas bem variado como esse.

    bjs e te mais!

    Responder
  • 16. Mayara Bastos  |  outubro 17, 2009 às 10:48 pm

    O filme parece ótimo, mas não sei o que algumas locadoras tem contra documentários, que é raro ver este tipo de filme disponível… Vou tentar outras fontes, rsrsrsrs.

    Beijos! 😉

    Responder
    • 17. Kamila  |  outubro 18, 2009 às 1:46 am

      Ygor, eu também gosto de documentários e queria poder conferir mais longas do gênero! Beijos e até mais!

      Mayara, o Ygor encontrou o filme na locadora. Vê se na que você frequenta, não tem um! Beijos!

      Responder
  • 18. Dewonny  |  outubro 23, 2009 às 8:03 pm

    Excelente documentário, já tinha elogiado bastante lá no meu blog, gostei muito!
    Bjo! Diego!

    Responder
    • 19. Kamila  |  outubro 24, 2009 às 1:16 pm

      Diego, concordo! Beijo!

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,283 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: