O Silêncio de Lorna

fevereiro 25, 2009 at 5:35 pm 21 comentários

As duas palavras mais difíceis para qualquer viciado dizer são: “me ajude”. Este será um clamor repetido à exaustão – e sem sucesso – por Claudy (Jérémie Renier) para sua ex-esposa Lorna (Arta Dobroshi). Fica subentendido que ela não responde aos pedidos do ex-marido porque, provavelmente, já passou por aquela situação com ele muitas vezes e não acredita mais na sinceridade daquele apelo.

 

Na medida em que a trama de “O Silêncio de Lorna”, filme dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne, vai se desenrolando ficamos sabendo que Lorna não vai atender às palavras de Claudy porque tem muito interesse no afundamento total dele nas drogas. Ela precisa ficar viúva urgentemente ou conseguir o divórcio dele para entrar de cabeça no plano armado pelo taxista Fabio (Fabrizio Rongione), o qual quer que ela, em troca de muito dinheiro, se case com um russo para fornecê-lo a cidadania belga – e esta quantia chega em boa hora, afinal Lorna pretende montar uma lanchonete com seu novo amor, Sokol (Alban Ukaj).

 

Esta situação vivida pela personagem principal é o ponto de partida para a apresentação de uma trama que envolve farsa, ambição e segredos. O silêncio de Lorna é importante para que nada saia fora do planejado e, por isso, os irmãos Dardenne nunca poderiam errar na escalação da sua atriz principal. Arta Dobroshi não decepciona na sua composição da personagem central deste filme. A performance dela é discreta e exala segurança.

 

No entanto, os irmãos Dardenne erraram em um outro aspecto de “O Silêncio de Lorna”: a edição. Em várias passagens do filme temos um corte brusco e os personagens começam a fazer referências a acontecimentos que não vimos, mas que são muito importantes para o desenrolar da história. Isto não chega a ser um defeito que prejudica demais o longa, mas nos dá a sensação de que estamos sendo deixados de lado de tudo o que está ocorrendo.

 

Cotação: 7,0

 

O Silêncio de Lorna (Le Silence de Lorna, 2008)

Diretores: Jean-Pierre e Luc Dardenne

Roteiro: Jean-Pierre e Luc Dardenne

Elenco: Arta Dobroshi, Jérémie Renier, Fabrizio Rongione, Alban Ukaj

Entry filed under: Cinema.

Operação Valquíria Deserto Feliz

21 Comentários Add your own

  • 1. Caetano Grippo  |  fevereiro 25, 2009 às 5:50 pm

    Dardennes são demais!
    Cinema para poucos. Infelizmente.

    Responder
  • 2. Mayara Bastos  |  fevereiro 25, 2009 às 6:37 pm

    Olá, Kamila! Tudo bem?

    Infelizmente por aqui, filme muito bem elogiados e do tipo deste “O Silêncio de Lorna” passam bem despercebidos por aqui. Espero que assim que chegar o DVD, irei atrás deste filme. Parece ser bom! 😉

    Beijos!

    Responder
  • 3. Kau  |  fevereiro 25, 2009 às 7:07 pm

    Essa menina parece a Ellen Page 🙂

    Eu acho o filme interessante, mas comparado com A Criança – também dos Dardenne – é bem fraco. Mesmo assim, dei a mesma nota.

    Beijos!

    Responder
  • 4. Pedro  |  fevereiro 25, 2009 às 7:19 pm

    Eu gostei do longa, mas também acho que muitos acontecimentos citados não expostos ao público podem criar uma certa confusão.

    Responder
  • 5. Kamila  |  fevereiro 25, 2009 às 8:07 pm

    Caetano, este foi o primeiro filme dos Dardenne que eu assisti. “O Silêncio de Lorna” me deixou com gosto de quero mais, o que é mais importante.

    Mayara, tudo bem, obrigada! E com você? “O Silêncio de Lorna” passou aqui numa sessão de arte. É um filme bom, sim. Beijos!

    Kau, você acha??? E ainda tenho que assistir “A Criança”. Beijos!

    Pedro, exatamente!!!

    Responder
  • 6. Rafael Moreira  |  fevereiro 25, 2009 às 9:43 pm

    Quero tanto ver esse filme… Não veio por aqui. E não sei se já foi pra locadora. Já li críticas negativas e positivas e isso desperta mais minha curiosidade. Abraço!

    Responder
  • 7. Denis Torres  |  fevereiro 25, 2009 às 9:43 pm

    Ainda não vi esse, mas é bem comentado. Assisti ontem Deixe Ela Entrar e já escrevi sobre lá no blog. Vc já viu? Abs.

    Responder
  • 8. Rafael Carvalho  |  fevereiro 25, 2009 às 11:05 pm

    Eu sou um fanzaço dos Dardennes e gosto muito desse filme. E essa coisa do corte repentino é mais uma questão de estilo dos irmãos que têm uma predileção pelo corte seco e câmera na mão, tudo em prol de uma narrativa mais dura e sem concessões. Acho o filme totalmente condizente com esse estilo.

    Responder
  • 9. Sérgio Déda  |  fevereiro 25, 2009 às 11:24 pm

    Preciso ver este filme, não sei se vou gostar como certas pessoas, mas o fato é que preciso conferi-lo.

    Responder
  • 10. Kamila  |  fevereiro 25, 2009 às 11:38 pm

    Rafael Moreira, eu também gosto quando um filme divide opiniões. Fica aquela sensação de “assista para ver como você se posiciona”. 🙂 Abraço!

    Denis, ainda não, mas já ouvi falar bastante deste filme. Abraços!

    Rafael Carvalho, eu não conhecia outros filmes do diretor, por isso não sabia esse detalhe do corte repentino. Bom saber… Obrigada pelas informações.

    Sérgio, espero que consiga assistí-lo.

    Responder
  • 11. Otavio Almeida  |  fevereiro 25, 2009 às 11:47 pm

    Quero ver, Kamila! E gostei do seu texto sobre VALQUIRIA. Ainda não vi, mas sua crítica me deixou empolgado!

    Pessoal malha o “Tom Cruz”, como diz minha tia, mas gosto dele.

    Bjs!

    Responder
  • 12. Kamila  |  fevereiro 25, 2009 às 11:51 pm

    Otavio, obrigada!!! Eu não gosto nem desgosto do Tom Cruise, mas acho que ele não mereceu ver “Operação Valquíria” ser massacrado do jeito que foi. Beijos!

    Responder
  • 13. Vinícius P.  |  fevereiro 26, 2009 às 12:55 am

    Desde que vi “A Criança” (um dos melhores estrangeiros dos últimos anos), fiquei com muita curiosidade de ver “O Silêncio de Lorna”, até mesmo pelo sucesso em Cannes. Contudo, parece que o filme não “pegou” como eu imaginava, tanto que ainda não tive acesso a essa fita. Mas verei em breve!

    Responder
  • 14. Hélio  |  fevereiro 26, 2009 às 3:18 am

    Pois é, como ja disseram aqui, voce precisa ver os outros filmes dos Dardenne, que sao fantasticos. Pra mim, eles fizeram tres obras-primas seguidas (Rosetta, O Filho, A Criança) e derraparam feio nesse Silencio de Lorna, do qual nao gosto nem um pouco. A formula se repete, mas com concessoes que os outros nao tem. A parte final do filme eu acho triste…

    Abraços!

    Responder
  • 15. Wally  |  fevereiro 26, 2009 às 5:54 am

    Apesar da edição falha, a história aqui aparenta ser muito interessante! Fui fisgado agora. Vou procura-lo.

    Ciao!

    Responder
  • 16. Weiner  |  fevereiro 26, 2009 às 10:30 am

    Quando observei o cartaz do filme “O Silêncio de Lorna” em seus últimos filmes vistos, eu achei que fosse a Ellen Page! Cheguei a pensar, inclusive, que o filme era “Um Crime Americano”, este que você acaba de conferir – o qual adorei.
    “Lorna” ainda é inédito na minha vida, mas admiro os trabalhos dos Dardenne e isto será um ótimo motivo para conferir mais um.
    Bjs!

    Responder
  • 17. Ramon  |  fevereiro 26, 2009 às 2:16 pm

    Uhmmm… vou conferir quando puder. Não fiquei muito intrigado com sua resenha. A não ser pela performance da protagonista.

    Abs!

    Responder
  • 18. Cassiano  |  fevereiro 26, 2009 às 2:24 pm

    Falha gritante Kamila, eu diria! Essa da edição!

    Gostei do tom da história, quem sabe me empolgue para ver.

    Responder
  • 19. Jeniss Walker  |  fevereiro 26, 2009 às 3:34 pm

    espero ve-lo em dvd.
    a filmografia dos irmãos Dardenne é curiosissima.
    abs, Kamila
    🙂

    Responder
  • 20. Caetano Grippo  |  fevereiro 26, 2009 às 6:14 pm

    Obrigado pelo comentário Kamilla. Estou favoritando você. Beijos!

    Responder
  • 21. Kamila  |  fevereiro 27, 2009 às 1:58 am

    Vinícius, eu ainda não assisti “A Criança” e assisti a este filme porque sempre ouvi falar dos irmãos Dardenne. Confesso que esta não foi a obra maravilhosa que esperava ver, mas, mesmo assim, acho que é um filme que merece ser visto. Abraço!

    Hélio, a parte final do filme, realmente, é bela. E eu pretendo assistir aos outros filmes dos Dardenne. Abraços!!

    Wally, vou aguardar ler suas opiniões sobre o filme.

    Weiner, você é a segunda pessoa que vem aqui dizer que a atriz deste filme lembra a Ellen Page! Eu discordo disso! 🙂 Mas, assista ao filme, ainda mais porque você gosta dos Dardenne. Beijos!

    Ramon, entendo! Se conferir o filme, espero ler resenha no Cinema em Casa. Abraços!

    Cassiano, mas os comentários dos meninos que conhecem os trabalhos dos diretores dizem que este tipo de edição é uma marca dos Dardenne… Eu, por exemplo, achei a edição estranha demais….

    Jeniss, eu ainda tenho que conferir mais filmes deles… Abraços!

    Caetano, de nada! Obrigada e beijos!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,023 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: