O Resgate de um Campeão

julho 31, 2008 at 9:36 pm 24 comentários

A história pessoal do diretor e roteirista Rod Lurie é uma das mais peculiares. Considerado um dos críticos de cinema mais odiados dos Estados Unidos, ele passou para o outro lado no início desta década, ao escrever e dirigir o thriller político “A Conspiração”, que renderia indicações ao Oscar para Joan Allen e Jeff Bridges. O filme “O Resgate de um Campeão” é a prova de que ele não deixou de lado a sua primeira paixão, já que o longa fala a respeito da busca de uma boa história por parte de um jornalista – na realidade, esta procura disfarça o grande mote de “O Resgate de um Campeão”: o retrato da vida de dois homens que cansaram de ser desvalorizados e decidiram se tornar vencedores, seres os quais pudessem causar orgulho naqueles que eles amavam.

Após sair de uma luta de boxe, o jornalista esportivo Erik (Josh Hartnett, numa boa atuação) dá de cara com um mendigo que se auto-intitula Champ (Samuel L. Jackson, com uma voz altamente irritante) e afirma ser o antigo campeão de boxe “Battling” Bob Satterfield. Este está levando uma baita surra de um bando de garotos e é salvo por aquele. Erik irá se lembrar deste homem mal-cuidado quando, numa entrevista de emprego para uma revista especializada, sugerirá que o veículo conte a história de Champ, mostrando a situação calamitosa em que vive o antigo campeão. Desta forma, Erik acredita que sairá do jornal aonde trabalha para fazer matérias que valham a pena e que façam com que seu filho Teddy (Dakota Goyo) olhe para ele com admiração – é importante perceber que a esposa de Erik, Joyce (Kathryn Morris, do seriado “Cold Case”), é uma jornalista brilhante, com a qual ele vive sendo comparado; e que o próprio Erik tem um histórico difícil de relacionamento com o pai, que foi um famoso locutor esportivo, mas o abandonou quando ele era somente uma criança.

Inicialmente, “O Resgate de um Campeão” chama muito a atenção do espectador por ser um filme com o qual você se envolve rapidamente. No entanto, o roteiro escrito por Michael Bortman e Allison Burnett (tendo como base o artigo de J.R. Moehringer) começa a apresentar problemas quando o longa entra no seu segundo ato, que faz referências diretas a problemas que podem acontecer com qualquer jornalista descuidado. Neste sentido, fica a torcida para que o diretor Rod Lurie faça melhor no seu próximo filme, “Nothing But the Truth”, que é inspirado na história real da jornalista do Washington Post que foi presa por se recusar a revelar sua fonte na matéria em que ela divulgou a identidade de um agente da CIA – já que, neste caso, Lurie trabalhará com um roteiro escrito por ele próprio.

Cotação: 6,3

O Resgate de um Campeão (Resurrecting the Champ, 2007)
Diretor:
Rod Lurie
Roteiro: Michael Bortman e Allison Burnett (tendo como base o artigo escrito por J.R. Moehringer)
Elenco: Samuel L. Jackson, Josh Hartnett, Kathryn Morris, Dakota Goyo, Alan Alda, Rachel Nichols, Teri Hatcher, David Paymer, Peter Coyote

Entry filed under: Filmes.

Arquivo X – Eu Quero Acreditar Um Beijo Roubado

24 Comentários Add your own

  • 1. Viviana Ferreira  |  julho 31, 2008 às 10:23 pm

    kami, achei a sua critica otima..não vi o filme ainda gosto de Rod Lurie.
    Sobre o comentario que vc fez no cinefilando, Terry Gilliam é realmente azarado mas este seu projeto, em especial, foi o mais azarado de todos…mas acho ele ótimo diretor.
    Bjokas,
    vivi

    Responder
  • 2. Kamila  |  julho 31, 2008 às 11:33 pm

    Vivi, eu também gosto do Rod Lurie. Como disse no “Cinefilando”, não sabia que aquele projeto era o mais complicado do Gilliam. Espero que saia tudo bem agora… Beijos!

    Responder
  • 3. Kau  |  agosto 1, 2008 às 12:28 am

    Kami, assisti 30 minutos deste filme e confesso que achei meio raso. Em realidade, estou absolutamente ocupado com uma mudança de faculdade, e para ajudar eu detesto Josh Hartnett, hahahaha. Bjos.

    Responder
  • 4. Otavio Almeida  |  agosto 1, 2008 às 2:30 am

    Eu tentei ver esse filme outro dia em casa, Kamila. Mas não consegui terminar. Não pq estava ruim, mas pq não deu tempo mesmo. Não estava nada especial, mas eu terminaria numa boa.

    Quanto a ARQUIVO X, acredita que eu não vi? Vou só no fim de semana, pois minha semana no trabalho está uma loucura. Gostei de sua crítica. Parece que não é nada de extraordinário, mas diverte os fãs da série. Nota 7,5 já está bom.

    Bjs!

    Responder
  • 5. Vinícius P.  |  agosto 1, 2008 às 4:12 am

    Meu único interesse nesse filme é a elogiada atuação do Samuel L. Jackson, afinal nunca gostei muito do Josh Hartnett – apesar de não considerá-lo um dos piores atores da atualidade, como muita gente acha. Não sabia que o Lurie era crítico, interessante isso… E também fiquei animado devido a participação da Kathryn Morris (vi alguns episódios de “Cold Case” nessas férias e gostei bastante).

    Abraço!

    Responder
  • 6. Wally  |  agosto 1, 2008 às 6:13 am

    Nossas opiniões foram parecidas, bastante. Mas eu não gostei de Hartnett (apesar da virada ao fim) e adorei a atuação de Jackson.

    Nota 6,5

    ps: o nome do filme em DVD está “O Resgate de um Campeão” 😉

    Responder
  • 7. Rogerio Scheidemantel  |  agosto 1, 2008 às 11:13 am

    Caramba, nao sabia desses rolos do roteirista. Eu achei legal esse filme.Acho que partiu de um ponto despretensioso, e o resultado nao caiu no clichê.Como vc falou, a gente entra logo na pele do Josh Harnett, e talvez fariamos o mesmo que ele, com aquela descoberta delicada.
    ps: a voz do “Champ” era mesmo muuuuito irritante.
    Otimo fim de semana!! 🙂

    Responder
  • 8. Hugo  |  agosto 1, 2008 às 4:32 pm

    Já havia lido sobre este filme e achei boa a história, além do diretor Rod Lurie ter feito o bom “Conspiração”.
    Vou conferir este ainda.

    Até mais.

    Responder
  • 9. louisvidovix  |  agosto 1, 2008 às 5:16 pm

    Ka, esse eu não assisti. Sem tempo rs.. Mas me interessei pela história!

    Responder
  • 10. Kamila  |  agosto 1, 2008 às 6:54 pm

    Kau, eu gosto do Josh Hartnett. Ou, pelo menos, tento reconhecer os seus últimos esforços na direção de uma boa carreira como ator. 🙂 Beijos!

    Otavio, “O Renascer de um Campeão” não é um filme especial, mas é assistível. Quanto à “Arquivo X”: eu sou fã da série e fiquei satisfeita. Aconselho que você veja o filme sem expectativa alguma. Beijos!

    Vinícius, eu, por exemplo, ODIEI a performance do Samuel L. Jackson neste filme. Acho que a melhor atuação do longa veio do Josh Hartnett. A Kathryn Morris tem um papel pequeno, mas aparece muito bem. E, que bom que gostou de “Cold Case”. A série é uma das minhas favoritas. Abraço!

    Wally, eu não consegui gostar da atuação de Jackson! Mas, se formos considerar os últimos filmes dele, ele está maravilhoso em “O Resgate de um Campeão” (obrigada pela correção do título!).

    Rogerio, este é um filme que consegue nos envolver mesmo! Gostei de “O Resgate de um Campeão”. Bom final de semana para você também!

    Hugo, a história do filme é muito boa, mas poderia ter sido melhor trabalhada. Até mais!

    Louis, a história do filme foi o que me fez querer assistí-lo.

    Responder
  • 11. Pedro Henrique  |  agosto 2, 2008 às 6:13 pm

    Gostei da sinopse do filme. Quero ver!!!

    Mantenho expectativas nesse Josh Hartnett.

    Abraço!!!

    Responder
  • 12. Kamila  |  agosto 3, 2008 às 7:04 pm

    Pedro, o Josh Hartnett tem sido muito feliz em suas últimas escolhas. Ele tem se mostrado um bom ator. Abraço!

    Responder
  • 13. Andre Sauer  |  agosto 22, 2008 às 10:28 pm

    O joss Harnett fez uma atuação “padrão tom cruise”, até com os mesmos maneirismos, mas para mim isso não chegou a prejudicar o filme, que aliás gostei bastante. Principalmente pela atuação do Samuel Jackson.

    Responder
  • 14. Kamila  |  agosto 23, 2008 às 6:07 pm

    Andre, eu me irritei profundamente foi com a voz chatíssima do Samuel L. Jackson.

    Responder
  • 15. Ana Clara  |  setembro 11, 2008 às 4:56 pm

    nossa sem duvidas um filme que emociona muito,
    nos mostra um lado que pra muitas passoas é uma coisa super nova
    e ótima de se ver.
    sem falar que nos da mais prova de um ditado,
    de como ele é mais que certo
    (A mentira tem pernas curtas).

    Parabens

    Responder
  • 16. Kamila  |  setembro 11, 2008 às 5:11 pm

    Ana Clara, obrigada pela visita e pelo comentário!

    Responder
  • 17. Jussi Moraes  |  maio 31, 2009 às 11:23 pm

    Eu vi o filme e achei o roteiro e a atuação dos atores muito boas. Até porque aborda o jornalismo esportivo (box) que pouco é feito algo sobre o assunto.

    Responder
    • 18. Kamila  |  junho 1, 2009 às 11:12 pm

      Jussi, exatamente. Mas, este é um filme que poderia ser melhor.

      Responder
  • 19. Robson Halley  |  julho 25, 2011 às 3:48 pm

    Debutando no blog. 6,3? Isso numa escala de 7? Gostei bastate, a atuação está muito boa, a voz (que é um pouco irritante mesmo) do Sam. L. Jck retrata bem a hulmidade do “Champ” que é, também, explicitada pela voz, detalhe pra corridinha de lutador que ele sempre faz… Gostei do filme, bem laborado e de conteúdo inteligente. Vou continuar acompanhando, gostei do blog.

    Responder
    • 20. Kamila  |  julho 25, 2011 às 10:27 pm

      Robson, obrigada pela visita e pelo comentário. 6,3 numa escala de 10,0… Obrigada novamente!

      Responder
  • 21. Juscelino Gomes de Miranda - Rolim de Moura - Rondônia  |  agosto 14, 2011 às 10:45 pm

    Gostei do Filme e da resenha. Parabéns!!!!!

    Só penso que poderia ter outro desfecho. Muito boa a discussão sobre a relação pais x filhos.

    Kamila, tem alguma explicação para a escolha da voz que dublou o Samuel J.? Que voz irritante!!!!!

    Responder
    • 22. Kamila  |  agosto 14, 2011 às 11:39 pm

      Juscelino, obrigada! Olha, eu acho que, na versão original, o Samuel não foi dublado. Aquela voz irritante fez parte da composição dele para o personagem em questão. Não sei, no entanto, se você se refere a uma versão dublada do filme, que eu não conheço.

      Responder
      • 23. Juscelino Gomes de Miranda - Rolim de Moura - Rondônia  |  agosto 15, 2011 às 3:23 am

        Kamila, obrigado por ter respondido, sim refiro-me a uma versão dublada.

  • 24. Kamila  |  agosto 15, 2011 às 9:57 pm

    Juscelino, então, vai ver o dublador se inspirou no próprio trabalho do Samuel L. Jackson para fazer a sua versão nacional do personagem.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,059 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: