Longe Dela

junho 27, 2008 at 8:36 pm 24 comentários

Quando estava prestes a se casar com o editor David Wharnsby, em 2003, a atriz canadense Sarah Polley se deparou com o conto “The Bear Came Over the Mountain”, de Alice Munro. Polley de alguma maneira se identificou com o tema principal da história, que falava sobre um casal no meio de seus sessenta anos lidando com o Alzheimer da esposa. O amor de Sarah por esse relato fez com que ela mudasse um projeto de vida – já que ela sempre imaginou que sua estréia na direção de um longa-metragem seria a filmagem de um roteiro que ela escreveu aos 12 anos.

 

“Longe Dela”, filme que Sarah Polley dirigiu e roteirizou, mostra como é difícil para alguém ver a pessoa amada definhar aos poucos, bem como retrata a dificuldade que é para a própria pessoa ter o senso de que está desaparecendo. É por uma experiência desse tipo que passará o casal Grant (Gordon Pinsent) e Fiona Anderson (Julie Christie, que foi indicada ao Oscar 2008 de Melhor Atriz por sua performance neste longa). Ela é diagnosticada com Mal de Alzheimer e, antes de perder por completo sua consciência, toma a decisão conjunta com o marido de se internar numa casa de repouso.

 

Ao mesmo tempo em que mostra esta perspectiva, “Longe Dela” fala sobre a continuidade da vida. Após 44 anos de casados, Grant se vê pela primeira vez distante da pessoa que ele ama mais do que tudo. Isso é insuportável para ele, ainda mais quando ele nota a proximidade excessiva entre Fiona e Aubrey (Michael Murphy), um outro paciente da casa de repouso. Por causa disso, Grant tem que tomar uma resolução: ou ele definha junto de Fiona ou vai “encarar tudo isso com um pouco de graciosidade”. Este conflito vivido pelo personagem de Gordon Pinsent está muito bem representado por uma fala de Marian (Olympia Dukakis), a esposa de Aubrey: “Eu penso que, alguma vez, você vai ter que tomar a decisão de ser feliz. Decida, então. As coisas nem sempre são aquilo que a gente espera. Nunca, para ninguém. A única coisa que separa uma pessoa da outra é que existem algumas que ficam com raiva e outras que aceitam aquilo que aparece no caminho delas”.

 

Como atriz, Sarah Polley já trabalhou com diretores como Wim Wenders, Isabel Coixet, David Cronenberg, Kathryn Bigelow e Atom Egoyan. Ou seja, ela pôde aprender bastante (e com os bons) antes de se aventurar pela cadeira de direção. Em “Longe Dela” o que Polley demonstra é ser uma diretora de estilo único, a qual é marcada pelo olhar simples, maduro e sensível diante dos acontecimentos (não foi a toa que ela recebeu uma indicação ao Oscar 2008 de Melhor Roteiro Original). O seu primeiro longa é uma obra que emociona em vários momentos – especialmente por causa das excelentes atuações de Gordon Pinsent (o qual é um ator bastante querido no Canadá) e de Julie Christie.

Cotação: 9,5

Longe Dela (Away From Her, 2007)

Diretora: Sarah Polley

Roteiro: Sarah Polley (tendo como base o conto de Alice Munro)

Elenco: Julie Christie, Gordon Pinsent, Olympia Dukakis, Kristem Thomson, Michael Murphy

 

Entry filed under: Cinema.

Divulgadas as Séries Finalistas Para o Emmy 2008 Cena da Semana

24 Comentários Add your own

  • 1. Vinícius P.  |  junho 27, 2008 às 8:54 pm

    Não cheguei a gostar tanto do filme quanto você, mas sem dúvida é um belo trabalho de estréia da Sarah Polley – acho até que seu trabalho como diretora é melhor que o de roteirista, pois em momento algum fiquei muito comovido pelos diálogos. Vale mais pelo elenco, especialmente por causa do Gordon Pinsent como você comentou. Bom final de semana! 😉

    Responder
  • 2. Kamila  |  junho 27, 2008 às 9:15 pm

    Vinícius, achei “Longe Dela” tão comovente! Eu nem acredito que foi um filme feito pela Sarah Polley! Adoro o trabalho dela como atriz e fico feliz de vê-la se aventurando tão bem em outras frentes no cinema. E o Gordon poderia muito bem ter sido lembrado na última temporada de premiações.

    Bom final de semana!

    Responder
  • 3. Matheus  |  junho 27, 2008 às 11:01 pm

    Kamila, legal saber que você adorou “Longe Dela”! Até então não tinha achado um cinéfilo que tivesse apreciado o longa tanto quanto eu. Certamente é um filme muito bonito e comovente. Só acho que o filme tem mais destaques do que a interpretação da Christie (que mereceu ficar só com a indicação do Oscar), e que merecem ser descobertos!

    Responder
  • 4. Kamila  |  junho 28, 2008 às 12:43 am

    Matheus, concordo plenamente. “Longe Dela” é muito mais que a atuação de Julie Christie.

    Bom final de semana!

    Responder
  • 5. Rafael Moreira | Fortaleza - CE  |  junho 28, 2008 às 12:49 am

    Ainda não assisti, Kamila! Aqui não chega, que saco! Por que só vem “Guerreiro Didi (e sei lá o que)? Já li ótimas referências sobre o filme, tô curioso pra assitir, quando surgir a oportunidade… Mas sei que o filme é bom, não só pela atuação de Julie Christie, tem um enredo bacana e interessante.

    ‘té mais, ainda vô assisti!

    Responder
  • 6. Cassiano Sairaf  |  junho 28, 2008 às 1:35 am

    Queria muito ver esse filme, mas não passou por aqui. Não sabia que era da Sarah Polley, gostei de saber, ainda mais trabalhando com esses diretores que vc citou, ela deve no minimo ter noção da coisa.

    Responder
  • 7. Rodrigo Fernandes  |  junho 28, 2008 às 6:25 am

    Eu já tinha me emocionado com a historia do filme antes mesmo de ve-lo, porem faltou oportundiades para que conseguisse ver nos cinemas, tomara que o encontre com facilidade nas locadoras…
    beijos, Kamila!

    Responder
  • 8. Kamila  |  junho 28, 2008 às 11:57 am

    Rafael, o filme ficou em cartaz nesta semana aqui na minha cidade – o que foi uma surpresa enorme, porque eu não esperava que ele chegasse por aqui. Se tiver a oportunidade não deixe de assistir ao filme.

    Cassiano, não acredito que “Longe Dela” não estreou em Salvador! Eu gosto muito do trabalho da Sarah Polley como atriz e fiquei ainda mais surpresa de ver que ela tem talento para outras funções no cinema.

    Rodrigo, eu também! E espero que “Longe Dela” seja lançado logo nas locadoras.

    Responder
  • 9. louisvidovix  |  junho 28, 2008 às 12:53 pm

    Nao achei o filme essas coisas nao, Ka. Sensivel, mas sem muito diferencial. E achei um exagero tanto prestigio pra Christie. Gordon é o dono do filme! =D

    Responder
  • 10. louisvidovix  |  junho 28, 2008 às 2:08 pm

    Alias, Ka, estou de blog novo 😀 Um diario de bordo sobre a ida pra Londres mas tb comentarios sobre filmes e séries. Já add vcs por la! o/

    http://louisinreallife.blogspot.com/

    Responder
  • 11. Ibertson  |  junho 28, 2008 às 2:53 pm

    Gostaria de assistir esse filme. A atuação de Julie Christie é bastante elogiada, assim como o próprio filme da Sarah Polley.
    E o tema me lembrou o belíssimo filme coreano A Moment to Remember, apesar das personagens deste filme serem mais jovens.

    Responder
  • 12. Marfil  |  junho 28, 2008 às 3:48 pm

    LONGE DELA para mim é um filme definitivo sobre o amor.

    Responder
  • 13. Romeika  |  junho 28, 2008 às 4:19 pm

    Kamila, concordo com sua resenha, ainda que o filme nao me cativou a ponto de ser um 9,5. Sao varios momentos comoventes, sim, tudo casa perfeitamente com a direcao sensivel da Sarah Polley (que revelacao!), a atuacao dos dois atores principais (gostei de ver vc citando a atuacao de Gordon Pinsent, excelente), alem de Olympia Dukakis. A cena que mais me deu um no na garganta, foi a “despedida” dos dois, naquela cena no quarto dela na instituicao, pouco antes de perder suas memorias pra doenca.

    Responder
  • 14. Wally  |  junho 28, 2008 às 4:30 pm

    Que bom que gostou! Muitos acharam apenas legal e é bom ler a opinião de alguém que amou. Eu vou tentar vê-lo esse fim de semana, mas ainda não sei se vai dar, estou lotado de filmes para assistir.

    Ciao!

    Responder
  • 15. Kamila  |  junho 29, 2008 às 12:54 am

    Louis, me permita discordar de você. “Longe Dela” tem muitos diferenciais, sim. É um filme feito de um bom roteiro, uma boa direção e ótimas atuações.

    Ibertson, não conheço esse filme coreano. Foi lançado no Brasil?

    Marfil, concordo plenamente!

    Romeika, “Longe Dela” me cativou por completo. Me emocionei em várias cenas, especialmente na que você citou. Só não vou concordar com você no que disse a respeito de Olympia Dukakis. Achei que ela foi somente normal no filme.

    Wally, espero que consiga assistir “Longe Dela” neste final de semana!

    Responder
  • 16. Rafael Carvalho  |  junho 29, 2008 às 1:31 am

    Ei Kamila, tudo bem? Sei que dei uma sumida por um bom tempo, mas já estou de volta à ativa.

    Fiquei bastante impressionado com o trabalho de sensibilidade da Sarah Polley ao conduzir essa triste história. Como é o seu primeiro filme como diretora, a sensação é mais surpreendente ainda. E embora não tenha achado tão sensacional assim como você, Kamila, me tocou bastante o filme. E que atuações desse casal de protagonista, hein! Uma pena que o Gordon Pinset, ao contrário da Julie Christie, tenha sido tão esquecido pelas premiações do ano passado. De qualquer forma, vale muito a pena.

    Responder
  • 17. Lucas  |  junho 29, 2008 às 3:31 am

    Sarah Polley se mostrou uma ótima roteirista e diretora, tem domínio ótimo para o drama/melodrama.
    Ah e Julie Christie está maravilhosa.

    Responder
  • 18. Weiner  |  junho 29, 2008 às 5:28 am

    Estou tentando encontrar alguma maneira de ver este filme, mas só está nos cinemas da capital – e onde eu moro nem deve chegar. Sarah Polley foi muito aplaudida pelo seu trabalho (gostava dela já como atriz). E a Julie Christie deve entregar uma boa atuação mesmo, até porque muitos prêmios foram abocanhados por ela na última temporada.
    Abraço!

    Responder
  • 19. Sérgio Déda  |  junho 29, 2008 às 6:05 pm

    Ainda não assisti… mas não deve passar desta semana.. falam muito bem do filme e acho q vou gostar… seu texo me empolgou mais ainda…

    vlws

    Responder
  • 20. Kamila  |  junho 29, 2008 às 8:31 pm

    Rafael, que bom que está de volta à ativa. E concordo com tudo o que você disse sobre “Longe Dela”.

    Lucas, concordo com você também!

    Weiner, eu dei sorte que “Longe Dela” estreou por aqui, na última semana.

    Sérgio, que bom! Aguardo sua opinião sobre “Longe Dela”.

    Responder
  • 21. Pedro Henrique  |  junho 30, 2008 às 12:44 pm

    Também não vi o filme ainda, mas está em cartaz por aqui e eu pretendo ver.

    Beijo!!!

    Responder
  • 22. Kamila  |  julho 1, 2008 às 1:35 am

    Pedro, assista e, depois, me diga o que achou do filme!

    Responder
  • 23. Alex Gonçalves  |  julho 1, 2008 às 2:48 am

    Kamila, desde que assisti “Minha Vida Sem Mim” sabia que Sarah Polley não era uma atriz qualquer. Acompanhei alguns de seus trabalhos após este filme de Isabel Coixet e estou extremamente feliz pelo seu sucesso como diretora. Espero que o cinema permita que ela continue brilhando como atriz e agora como cineasta.

    Responder
  • 24. Kamila  |  julho 1, 2008 às 3:24 am

    Alex, eu concordo com o que você disse a respeito da Sarah Polley, Alex. E também estou super feliz com o sucesso obtido por “Longe Dela”. Que venham mais filmes da Sarah.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,025 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: