Irina Palm

junho 23, 2008 at 9:22 pm 19 comentários

Para citar outros personagens que dão nome aos filmes que estrelam, Irina Palm não é como Michael Clayton, que consegue limpar toda a sujeira de sua vida. Ela é uma mescla de tipos como Vera Drake (já que guarda um segredo de sua família), Jerry Maguire (já que vai passar por uma transformação na sua personalidade) e, principalmente, John Q (já que, as circunstâncias de sua vida, a obrigaram a tomar atitudes drásticas).

 

Irina Palm é o nome de guerra de Maggie (Marianne Faithfull), uma senhora inglesa de meia-idade, que, após a morte do marido, devotou sua vida (bem como suas economias e bens) para proporcionar ao neto (Corey Burke) doente o melhor tratamento possível. Quando, ao lado do filho Tom (Kevin Bishop) e da nora Sarah (Siobhan Hewlett), recebe a notícia de um tratamento experimental que poderá salvar a vida do pequeno Ollie, a dedicada avó percorre, inicialmente, os caminhos convencionais para conseguir o dinheiro que levará toda a família para Sydney (Austrália). Nas negativas de um empréstimo bancário e da tentativa de conseguir um emprego, Maggie acaba parando – sem pensar direito – no estabelecimento dirigido por Miki (Miki Manojlovic).

 

O local, que é uma casa de diversão para homens, precisa de uma hostess – Miki bem a lembra que, num ramo como esse, uma hostess é uma garota que faz de tudo. Descoberta a especialidade de Maggie, ela consegue o emprego. É aqui o grande ponto de virada de “Irina Palm”, filme de Sam Garbarski (que co-escreveu o roteiro ao lado de Martin Herron e Philippe Blasband). Com uma vida dupla, a senhora de meia-idade passa a encarnar com perfeição o dilema entre a decisão de uma avó disposta a tudo pelo neto e a de uma mulher se redescobrindo em uma idade em que isso é muito difícil de acontecer, ao mesmo tempo em que afasta – com seu segredo – aqueles que são mais importantes em sua vida.

 

Estrelado por Marianne Faithfull, é justamente na sua atriz principal que “Irina Palm” encontra a sua maior força. Faithfull, uma cantora e atriz inglesa, cuja carreira vive em altos e baixos por mais de 40 anos, interpreta neste filme uma personagem que é muito diferente da imagem que temos dela. A Maggie que ela compõe é uma mulher completamente anestesiada e que vai aprendendo, aos poucos, a reagir à sua vida e aos seus desejos mais pessoais. Isto acaba sendo uma complementação ao tema principal do filme, que fala sobre o que somos capazes de fazer (e de enfrentar e compreender) por amor.

Cotação: 9,8

Irina Palm (Irina Palm, 2007)

Diretor: Sam Garbarski

Roteiro: Martin Herron, Philippe Blasband e Sam Garbarski

Elenco: Marianne Faithfull, Miki Manojlovic, Kevin Bishop, Siobhan Hewlett, Dorka Gryllus, Jenny Agutter

Entry filed under: Cinema.

Cena da Semana Agente 86

19 Comentários Add your own

  • 1. Otavio Almeida  |  junho 24, 2008 às 12:14 am

    Meu chefe me falou desse filme e disse que eu deveria assistir. Agora você deu nota 9,8… hmm… É que está um frio danado em SP, então, acho que vou esperar pelo DVD. Mas não esquecerei de IRINA PALM, Kamila.

    Bjs!

    PS: Não fique brava por causa da minha crítica a PS: Eu Te Amo.

    Responder
  • 2. Lucas  |  junho 24, 2008 às 1:41 am

    Morro de vonatde de ver esse filme, mas vou ter que esperar o DVD, cidade pequena só passa blockbuster no cinema.

    Responder
  • 3. Wally  |  junho 24, 2008 às 3:50 am

    O filme é tão bom assim?? Se eu soubesse teria feito um esforço maior para vê-lo no circuito alternativo aqui. Esperarei então pelo DVD.

    Ciao!

    Responder
  • 4. Pedro Henrique  |  junho 24, 2008 às 1:05 pm

    Melhor que Bella? Ainda não vi esse também, mas, sem dúvida deve ser ótimo, afinal só vejo coisa boa sobre esse filme.

    Abraço, Kamila!!!

    Responder
  • 5. Ramon  |  junho 24, 2008 às 1:14 pm

    Nossa, parece um grande filme.
    Assim que possível vou conferi-lo.

    Responder
  • 6. Rodrigo Fernandes  |  junho 24, 2008 às 1:57 pm

    Aparenta ser um filme excpecional…fico na fé de que um dia o veja- nas lcoadoras com certeza, mas o quanto antes…
    beijos, Kamilla!

    Responder
  • 7. Marcel Gois  |  junho 24, 2008 às 4:03 pm

    Também gostei muito desse filme. Apesar de todo o tema polêmico, a humanização da personagem torna o filme tocante. Além das ótimas atuações que são um show a parte. =D

    Responder
  • 8. Vinícius P.  |  junho 24, 2008 às 5:05 pm

    Puxa, Kamila, que nota alta! Sem dúvida seu texto aumentou minhas expectativas em relação a esse “Irina Palm” – e assim como “Bella”, também espero me surpreender com o resultado. Fiquei curioso…

    Responder
  • 9. Kamila  |  junho 24, 2008 às 8:46 pm

    Otavio, não vou ficar brava por causa da crítica de “P.S. Eu Te Amo”. Acho ótimo ler opiniões divergentes sobre filmes, ainda mais quando elas são bem fundamentadas (o que é o caso da sua). E assista “Irina Palm”.

    Lucas, eu assisti “Irina Palm” porque o filme me foi super bem recomendado.

    Wally, o filme é maravilhoso. O que mais me chamou atenção no longa foi que ele é simples e direto.

    Pedro, levemente melhor que “Bella”. Não é tão emocionante quanto, mas, como filme, é uma obra muito bem feita.

    Ramon e Rodrigo, não deixem de conferir!

    Marcel, sua recomendação foi uma das que me fizeram querer assistir “Irina Palm”. Obrigada!

    Vinícius, tomara que goste de “Irina Palm” tanto quanto de “Bella”.

    Responder
  • 10. Marcus Vinícius  |  junho 24, 2008 às 11:02 pm

    Uia, quase 10 é? Gostei da história, vou anotar aqui para futura conferida, hehe.

    Beijo grande!

    Responder
  • 11. Marcel Gois  |  junho 25, 2008 às 2:31 am

    Nossa, Kamila.. nessa caso fico ainda mais feliz em saber que gostou. =)

    Responder
  • 12. Kamila  |  junho 25, 2008 às 2:22 pm

    Marcus, confira mesmo!

    Marcel, obrigada de novo pela recomendação!

    Responder
  • 13. hypado  |  junho 25, 2008 às 3:08 pm

    Deve ser bom mesmo esse filme, a sua nota e a sinopse me atrairam.

    Responder
  • 14. Soninha  |  junho 25, 2008 às 5:49 pm

    Acredito que cada um de nós verá em Irina Palm pequenas nuances. É um filme melancólico, na medida em que a personagem – e alguns de nós – constata que sua vida correu em função de pessoas que não conseguiram valorizá-la como mulher, esposa, mãe. Diria até que sequer a enxergaram.
    E, como coloca Kamila, tem o mérito de mostrar o quanto o ser humano pode superar a si mesmo em busca de uma salvação para aqueles a quem verdadeiramente ama.
    Gostei demais do filme. E não acredito que possa ser comparado com Bella, já que focam situações, momentos, sentimentos, diferentes nas vidas de suas personagens. Bella foi um filme que me aqueceu o coração. Irina conseguiu deixá-lo mais inquieto. Mas ambos demonstram a grandeza do amor humano.

    Responder
  • 15. Kamila  |  junho 25, 2008 às 8:44 pm

    hypado, o filme é muito bom mesmo!

    Soninha, obrigada pelo comentário! Você está totalmente certa em relação ao filme “Irina Palm” bem como “Bella”. Não podemos comparar as duas obras. “Bella” nos emociona, enquanto “Irina Palm” faz com que a gente reflita.

    Responder
  • 16. Romeika  |  junho 27, 2008 às 5:09 pm

    Kamila, esse filme estreou ha algum tempo e ainda nao o conferi, espero fazer isso proxima semana (tomara que ainda esteja em cartaz!). Li apenas o primeiro e ultimo paragrafos pra nao saber demais do filme, e apenas essas linhas somada a nota me deixou com muita vontade de conferir a obra.

    Responder
  • 17. Kamila  |  junho 27, 2008 às 8:43 pm

    Romeika, espero que o filme ainda esteja em cartaz por aí e acho que você vai gostar bastante de “Irina Palm”.

    Responder
  • 18. Romeika  |  julho 2, 2008 às 6:16 pm

    Kamila, concordo em tudo que vc fala na resenha, e adorei a comparacao que vc faz entre a personagem principal e outros tres personagens de filmes. Eu nao conhecia essa atriz, a adorei! E o roteiro do filme eh superoriginal, nao cai no dramalhao em momento algum, e entrega um final (para mim) inesperado.

    Responder
  • 19. Kamila  |  julho 2, 2008 às 8:48 pm

    Romeika, eu sabia que você iria gostar de “Irina Palm”!! A Marianne Faithfull é uma pessoa conhecida dos roqueiros, teve caso com Mick Jagger e participou do clipe “The Memory Remains”, do Metallica. O final foi totalmente inesperado para mim também!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


A autora

Kamila tem 29 anos, é cinéfila, leitora voraz, escuta muita música e é vidrada em seriados de TV, além de shows de premiações.

Contato

cinefilapn@gmail.com

Último Filme Visto

Lendo

Arquivos

Blog Stats

  • 453,283 hits

Feeds


%d blogueiros gostam disto: